Estatísticas GPS confirmam que maioria dos cabo-verdianos está satisfeita com funcionamento da democracia

Cidade da Praia, 16 Nov (Inforpress) – Os resultados das estatísticas de Governança, Paz e Segurança (GPS) de 2016, divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) confirmaram que a maioria da população cabo-verdiana está satisfeita com o funcionamento da democracia em Cabo Verde.

Os dados, apresentados durante as celebrações do Dia Africano de Estatística, indicam que 65 por cento (%) do inqueridos têm uma atitude positiva, tendo nesse quesito, registando uma variação positiva face ao estudo realizado em 2013 que foi de 63%.

Mais 50% dos inqueridos consideraram na altura, que há respeito pelos direitos humanos em Cabo Verde traduzido na liberdade de expressão, liberdade política, liberdade de imprensa e igualdade perante a lei.

No que se refere às eleições, 56% das amostras manifestaram igualmente satisfeitas, afirmando que as eleições em Cabo Verde são livres e transparentes.

Em relação à qualidade e o grau de confiança, as melhores instituições avaliadas foram o sistema público de educação (84%) o exército (72%) e o sistema de segurança social (68%). O sistema público de saúde, os tribunais, o serviço público e a policia foram outras instituições cotadas positivamente.

Já as autoridades fiscais e aduaneiras e os deputados obtiveram uma avaliação negativa, de acordo com os dados, 49% e 34%, respectivamente).

No que refere à corrupção, assim como em outros estudos, as estatísticas de GPS mostraram que as autoridades fiscais e aduaneiras (44%), os funcionários políticos (40%) e a polícia (40%) são os mais corruptos.

Relativamente à eficiência do Governo no combate à corrupção, a média nacional aumentou de 2013 para 2016, tendo a percentagem daqueles que que consideraram que o executivo é eficiente no combate a corrupção passado de 36% para 39%.

A Governança, Paz e Segurança (GPS) é uma das áreas da estratégia A Estratégia de Harmonização das Estatísticas em África (SHaSA) é uma iniciativa da União Africana que visa a harmonização das estatísticas no continente.

Durante o estudo foram desenvolvidos e aplicados dois questionários junto às famílias: um referente à governança e outro à paz e segurança.

Cabo Verde foi um dos países escolhido para pilotar a ferramenta GPS em 2013 com o apoio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

MJB/CP

Inforpress/fim