Estado da Nação/Pesca: “Continuamos com os problemas crónicos de financiamento e fornecimento de gelo” – APESC

Mindelo, 24 Jul (Inforpress) – O presidente da Associação dos Armadores de Pesca de Cabo Verde (APESC) garante que o país continua, no sector das pescas, a enfrentar os mesmos “problemas crónicos” de financiamento e de fornecimento de gelo que exigem solução.

João de Deus Lima fez esta leitura numa entrevista à Inforpress, a propósito do debate sobre o Estado da Nação que se realiza nesta sexta-feira no parlamento.

O presidente da APESC afirmou que a associação tem trabalhado com o Governo e o Ministério da Economia Marítima de forma “muito presencial”, exigindo que cumprem a plataforma eleitoral apresentada aos armadores.

“Ainda temos muito que fazer nesse sector e precisa-se resolver essas questões que persistem há anos”, afirmou João de Deus Lima que aponta entre essas “necessidades” a implementação de lotas e outras.

“Continuamos também com os mesmos problemas crónicos de financiamento e de fornecimento de gelo”, acrescentou.

Entretanto, em relação ao financiamento, como adianta a mesma fonte, está-se em vias de encontrar uma solução, pelo menos para o sector da armação.

Isto porque, a cooperativa, criada recentemente dentro da APESC, teve a “ousadia” de conceber junto com o Banco Cabo-verdiano de Negócios (BCN) o Credimar, crédito voltado para o financiamento dos armadores nacionais.

Mas ainda assim, uma resolução para a qual, assegurou, precisa-se do “apoio” do Governo, uma vez que, dentro do mesmo projecto, se pretende conseguir a autorização para explorar um navio cercador, pertencente ao Estado de Cabo Verde.

“O projecto é que 10% da exploração desse navio cercador, anualmente, seja transferido para um fundo financeiro que vai ser explorado pelo BCN”, explicou João de Deus Lima, para quem mostra-se “fundamental o bom senso” das autoridades, para permitir um contrato de concessão ou de exploração desse navio, cujo nome não quis avançar, que está há mais de dois anos no Porto Grande, com avaria e sem ser utilizado.

“Porque aqui na APESC já nem queremos ouvir falar em fundos de pesca e outros mais, porque os fundos aqui em Cabo Verde não servem para financiar coisa nenhuma”, criticou.

Quanto ao fornecimento de gelo, a esperança recai, ajuntou, sobre o projecto do Executivo para reabilitar as máquinas inoperantes e outras que produzem menos de 80 por cento da capacidade.

Segundo João de Deus, ainda não há prazos, mas espera-se que 2019 seja o ano destas remodelações e aquisições de novas máquinas de gelo, que podem, efectivamente, “colocar as diversas comunidades piscatórias com condições de desenvolver a pesca artesanal e industrial”.

“Não podemos continuar sistematicamente a ter cardumes a passar e os armadores com navios atracados porque não têm capacidade de ir lá pescar por falta de gelo”, considerou.

O presidente da APESC apontou ainda outros projectos, também com o apoio do Estado, para formar, a partir do próximo ano, mil pescadores, e ainda de tornar o acordo de pesca com a União Europeia, que vai ser agora revisto, “menos lesivo”.

“Até agora têm sido acordos possíveis, mas o país tem que tirar mais benefícios e os armadores nacionais precisam ganhar mais com o acordo”, garantiu João de Deus Lima, para quem devia-se destinar uma parte da verba do contrato para ser gerida pelas associações de pesca.

Entre outras medidas a serem tomadas quanto ao acordo, o armador falou ainda da fiscalização a bordo dos navios europeus e ainda da criação de um “nicho de banco costeiro”, em que “nenhum navio que não tenha a bandeira de Cabo Verde possa entrar nesses bancos para pescar”.

“Para de uma vez por todas resolvermos este problema que está a escassear os recursos que o país deve preservar”, assegurou João de Deus Lima que defende a “pesca selectiva”, de vara, linha e salto, sem recorrer ao uso de redes.

Problemas que o presidente da APESC espera ver resolvidos, nos próximos dois anos de mandato, pelo Governo e pelo Ministério da Economia Marítima, com quem diz ter” uma abertura excelente”.

LN/ZS

Inforpress/Fim