Estado da Nação: Líder do PAICV diz que a Nação “não está bem” porque “o povo não está bem”

Cidade da Praia, 27 Jul (Inforpress) – A presidente do PAICV (oposição) afirmou hoje que a Nação não está bem porque “o povo não está bem” e alertou o Governo para não medir o desenvolvimento na “leitura fictícia, enganadora e contraditória de números”.

Para Janira Hopffer Almada, que intervinha no debate sobre o Estado da Nação, no Parlamento, nos últimos dias tem se verificado “um grande esforço da equipa governamental”, encabeçada pelo primeiro-ministro, para demonstrar que o povo está feliz e, através de “uma forte máquina de propaganda”.

“Assistimos ao renovar de promessas (antes das antigas estarem concretizadas), ao anunciar de novos compromissos (para substituir os velhos que foram votados ao esquecimento)”, criticou a líder do PAICV, para quem isto demonstra, claramente, que o próprio Governo não acredita no que fez e quer mudar a percepção do estado da alma das pessoas.

Mas, para Janira Hopffer Almada, este é o momento de falar a verdade aos cabo-verdianos. Por isso, pediu “esclarecimentos cabais sobre a degradação dos indicadores” do país.

“Tenha coragem e diga-nos se o valor absoluto da dívida pública não tem registado aumento de 2016 à esta parte. Seja sincero com o povo que o elegeu e diga-nos se não estamos a aumentar, de forma perigosa, a cifra da dívida interna, com riscos evidentes para os dias que virão”, questionou Janira Hopffer Almada.

A líder do grupo parlamentar do PAICV pediu ainda a verdade sobre o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) e dos factores deste crescimento, desde os últimos trimestres de 2015.

“Por favor, reconheça que este crescimento tem sido à custa do aumento das despesas e não do aumento de investimentos e que o mesmo crescimento não tem tido impacto directo na mudança das condições de vida das pessoas”, disse.

No entender da líder do PAICV, os dados apontam para uma situação económica pouco saudável. Esta constatação, asseverou, “é corroborada por instituições insuspeitas” e repetidas pelas organizações do sector privado do Barlavento e do Sotavento e são sentidas pelo povo cabo-verdiano.

Para Janira Hopffer Almada, a competitividade do país vem caindo, sobretudo em indicadores, tais como as infra-estruturas, a saúde e os ensinos primário, superior e a formação profissional, o mercado financeiro e o mercado de consumo, as tecnologias, a inovação e o ambiente de negócios.

Também contestou o anuncio do primeiro-ministro de que a Icelandair está interessada em adquirir 51 por cento (%) das acções da TACV, reiterando que o Governo “desmantelou e desbaratou a empresa” para vende-la à companhia irlandesa “aos seus militantes a preço de banana”.

A presidente do PAICV denunciou o aumento do valor dos vales/ração, quando mais de 60% do gado já desapareceu, e dificuldades dos agricultores e criadores de gado no acesso a bens essenciais para a sua sobrevivência.

“É humanamente angustiante, Senhor Primeiro-Ministro, constatar pessoalmente o sofrimento de tantas famílias, cujo único sustento reside na agricultura e na pecuária, quando sabemos o quão importante é o sector para milhares de camponeses”, contestou.

Na área da saúde, Janira Hopffer Almada considera que a situação “é tão grave” que as camadas mais vulneráveis da população não têm assistência médica e medicamentosa nos hospitais por não possuírem recursos para suportar os custos.

Segundo Janira Hopffer Almada, há também aumento de um “sentimento de indiferença, insegurança e de impunidade”, que se manifestam, com complexificação do crime e desaparecimento de pessoas, ocultação de cadáveres, assalto a turistas e pequena criminalidade.

Entretanto, a presidente do PAICV saudou-o seu discurso os investimentos no sistema de videovigilância dizendo esperar que não seja apenas uma encenação acautelando também os direitos dos cidadãos.

Congratulou-se ainda com a cimeira da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) realizada em Cabo Verde e seus ganhos e manifestou solidariedade ao povo de Santo Antão por causa do fogo que está a deflagrar no Planalto Leste.

CD/CP

Inforpress/Fim