Especialistas querem saber como um laboratório de diagnóstico de infecção pode influenciar na qualidade de vida das pessoas

Cidade da Praia, 19 Jun (Inforpress) – Especialistas da Universidade de Leicester (UoL), Reino Unido, e da Uni-CV querem saber como um laboratório de microbiologia clínica no diagnóstico de infecção e resistência a antibióticos pode influenciar na qualidade de vida das pessoas.

Para tal, os especialistas da UoL e da Universidade de Cabo Verde (Uni-CV) conseguiram um financiamento do Governo britânico no valor que ronda os 30 mil euros, para fazer um estudo sobre a evolução de resistência a antibióticos pelas bactérias que causam doenças infecciosas em Cabo Verde e analisar a viabilidade da instalação do referido laboratório no arquipélago.

“Vamos fazer durante um ano uma avaliação dos níveis de resistência antibiótico em Cabo Verde e também entender qual a viabilidade de fazer um ensaio clínico no qual vamos ver a influência da existência de um laboratório de microbiologia clínica no diagnóstico de infecção e resistência a antibióticos na qualidade de vida das pessoas em termos de saúde”, explicou a especialista da Universidade de Leicester, Sandra Beleza.

Em declarações à imprensa na Cidade da Praia à margem da 2ª Jornada Científica em Biologia e Saúde (JOBS), sob o lema “Epidemiology and Genomics of Microbial Infections and Antimicrobial Drug Resistance (AMR)” promovida pela Uni-CV nos dias 19, 20 e 21 de Junho, a perita fez saber que o estudo vai ser feito em colaboração com especialistas e clínicos cabo-verdianos.

Conforme ela, a ideia é estudar a sobre a economia da saúde, ou seja, ver se realmente, o facto de haver um laboratório padronizado de acordo com as directivas estabelecidas pelas instituições europeias e a Organização Mundial da Saúde (OMS) é possível melhorar as condições de vida do indivíduo ou se isso se traduz no benefício para a economia do país.

Sandra Beleza esclareceu que depois de serem analisados os resultados e se o estudo preliminar indicar a viabilidade do projecto, vão concorrer a financiamento maior para continuar a fazer o estudo no terreno e implementação do laboratório através do projecto “ANCoVer Network” que teria a duração de cinco anos.

Entretanto, durante este um ano, a equipa do Leicester vai acompanhar sempre o trabalho que vai ser realizado em Cabo Verde, notando que apesar de a população de Cabo Verde não ser muito grande, mas pelo facto de serem ilhas, poderá haver a necessidade de estabelecer dois laboratórios de microbiologia clínica no diagnóstico de infecção e resistência a antibióticos, um em São Vicente para a região do barlavento e outro na Cidade da Praia para sotavento.

O projecto “ANCoVer Network” visa estabelecer um grupo de trabalho multidisciplinar para avaliar o aparecimento e disseminação da resistência a antimicrobianos em Cabo Verde e contribuir para um melhor conhecimento da existência e níveis de resistência antimicrobiana no país.

O projecto vai também apoiar num estudo do impacto da prescrição de antibióticos com base em exames laboratoriais específicos na melhoria de cuidados de saúde e diminuição dos custos associados.

DR/FP

Inforpress/Fim