Equipa de Gestão das Aldeias Infantis SOS West África reúne-se na Praia para debater novas formas de suporte para a região

Cidade da Praia, 04 Abril (Inforpress) – A equipa de gestão das Aldeias Infantis SOS da Região West África, composta por 18 países, encontra-se reunida em Cabo Verde, por um período de dois dias, para debater novas formas de suporte das aldeias na região.

Em declarações à imprensa, o director internacional da região, Benoit Piot, adiantou tratar-se de um encontro que visa discutir novas formas de protecção das crianças, isso tendo em consideração o que se fez na África de Oeste e Central.

“Tudo isso porque, na actualidade, muitas crianças suportam muitos problemas, o que as deixam vulneráveis, pelo que é preciso fazer um trabalho diferente e com a ajuda de todos. Nós solicitamos o apoio de Cabo Verde, nesta matéria, pois, o objectivo de todos é fazer com que as crianças sejam homens e mulheres do futuro”, disse.

Benoit Piot explicou que a equipa de gestão da Aldeias Infantis SOS da Região West África reuniu-se com a CEDEAO para solicitar apoio desta organização na definição e melhoramento da politica de crianças que não possuem família, uma vez que um “miúdo que cresça sem o apoio familiar “necessita de tudo”.

A intenção, explicou, é moldar as Aldeias Infantis SOS da Região West África com tipos de repostas que atendam as necessidades de uma criança que não possui família.

Para a implementação das novas medidas, cada país, segundo Benoit Piot, irá adoptar as que melhor encaixam a realidade do seu país.

Para o responsável das Aldeias Infantis SOS em Cabo Verde, Dionísio Pereira, o arquipélago já possui um plano estratégico para o horizonte 2021, que integra o país no contexto regional, no quadro da federação.

“Vamos apresentar esse documento, já actualizado, e dentro de duas semanas estaremos presentes no Cluster de Banjul, uma estrutura sub-regional, em que Cabo Verde e seis outros países, irão proceder a analises do que foi planificado para 2021”, disse.

Segundo Dionísio Pereira, Cabo Verde tem em mãos três grandes ideias para levar a esse debate, propósitos que, no seu entender, os conduzirá rumo à realização dos principais objectivos da organização.

Das ideias a serem apresentadas por Cabo Verde, apontou a empregabilidade jovem, a partir do empreendedorismo, e a questão da capacitação das famílias para a assunção das suas responsabilidades parentais como primordiais para a ilha de Santiago.

Para a ilha de São Vicente, indicou o projecto ligado ao Centro Social que passará a ter as componentes da empregabilidade jovem, por via do empreendedorismo, e a vertente da escola da família.

O encontro da Praia, no qual participam 18 países da região, tem como principais objectivos, actualizar as prioridades do Escritório Regional Internacional SOS e discutir novas formas de suporte as Aldeias Infantis SOS da Região.

PC/JMV

Inforpress/Fim