Inicio Cooperação Embaixador dos EUA assegura que seu país não vai instalar nenhuma base...

Embaixador dos EUA assegura que seu país não vai instalar nenhuma base militar em Cabo Verde

Cidade da Praia, 05 Set (Inforpress)- O embaixador dos Estados Unidos da América em Cabo Verde, Donald Heflin, assegurou hoje que o seu país não vai instalar nenhuma base militar no arquipélago no âmbito do novo ‘Status Of Forces Agreement’ (SOFA).

O diplomata, que falava à Inforpress, para fazer o balanço da sua missão que termina na segunda-feira, 10 de Setembro, assegurou que os EUA não pretendem implementar no arquipélago nenhuma base militar e que o novo acordo assinado entre os Governos dos dois países, em Setembro do ano transacto, é “legal” e respeita a Constituição da República.

Donald Helfin disse que o debate gerado à volta deste acordo “é normal”, mas sublinhou que poderá haver outras influências e uma campanha anti-americana sobre esta questão, sendo certo que certas pessoas, destacou o diplomata, não entendem que no mundo globalizado de hoje, Cabo Verde não só precisa de apoio como colaborar com outros países a nível da segurança.

O diplomata avançou que, para além de Cabo Verde, o seu país tem também um acordo de segurança e com Estatuto de Forças com o Senegal e Portugal.

O novo acordo de Estado de Forças e Diálogo da Parceria EUA-Cabo Verde foi assinado a 25 de Setembro, em Washington, pela secretária de Estado Adjunto para Assuntos Político-militares norte-americano, Tina Kaidanow, e pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Defesa e Comunidades, Luís Filipe Tavares, na presença do secretário de Estado Adjunto dos EUA, Rob Scott, e primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva.

O SOFA vai permitir o combate do tráfico ilícito, segurança marítima, fornecimento e assistência humanitária na região da África Ocidental e define os termos da cooperação militar com os EUA e o estatuto dos soldados norte-americanos em território cabo-verdiano.

O novo acordo fortalece ainda a cooperação para a defesa na África ocidental e ilustra a força duradoura da parceria de segurança entre os dois países numa região “muito importante”.

AV/JMV

Inforpress/Fim