Embaixada do Japão financia MORABI a compra de uma viatura clínica móvel para assistir populações vulneráveis

Cidade da Praia, 23 Jan (Inforpress) – A MORABI recebeu hoje do Japão, 71.927 euros (cerca de 8.000.000 de escudos) para aquisição de uma viatura clínica móvel e materiais médicos, para prestação de consultas e actividades de prevenção que devem iniciar em Março.

O donativo que se enquadra no âmbito de Assistência a Projectos Locais da Embaixada do Japão foi formalizado através da assinatura de um contrato que aconteceu nas instalações da Associação Cabo-verdiana de Auto-Promoção da Mulher (MORABI), na Cidade da Praia, entre a conselheira chefe de missão adjunta da Embaixada, acreditada em Cabo Verde, Keiko Egusa, e a presidente da organização, Lúcia Passos.

A oferta vai permitir que a associação adquira uma viatura-posto clínico móvel e materiais médicos de clínica geral e genecologia para a prestação de serviço de consultas e actividades de prevenção, visando a melhoria de qualidade de vida das populações em situação de vulnerabilidade, em diversas localidades dos concelhos da Praia, Santa Catarina e Santa Cruz, todos na ilha de Santiago.

Depois de rubricar o contrato, Lúcia Passos explicou que o projecto vai permitir complementar o trabalho de apoio psico-social que vem sendo prestado a grupos vulneráveis chaves, tais como portadores do VIH, famílias infectadas e afectadas, profissionais de sexo, usuários de drogas, mulheres vítimas de VBG, entre outros.

De acordo com a presidente, esse serviço será desenvolvido no âmbito das actividades de prevenção das infecções sexualmente transmissíveis, particularmente o VIH-SIDA, retomando, assim, uma prática e experiência anterior da MORABI, de prestação de serviço médico nas comunidades.

“Os beneficiários do projecto terão mais uma oportunidade de acesso não só consultas médicas nas localidades onde residem, como também a melhoria de condições de apoio psico-social, possibilitando assim o aumento de auto-estima no caso concreto das pessoas que vivem com VIH-SIDA”, referiu.

Lúcia Passos lembrou ainda que a epidemia do VIH-SIDA é do tipo “concentrado”, segundo os últimos dados que indicam que a taxa de prevalência na população é de 0,8%, garantindo que a gestão desse projecto será assegurada por uma equipa de pessoal especializado e multidisciplinar.

Por sua vez, a conselheira chefe de missão adjunta da Embaixada do Japão, sublinhou que o projecto vai permitir a MORABI prestar serviços gratuitos nos três concelhos da ilha de Santiago a cerca de 1.900 habitantes por ano, especialmente aos mais desfavorecidos que dificilmente têm acesso aos serviços de saúde por razão dos constrangimentos económicos e geográficos.

“O Japão, através deste contrato de doação, vai continuar a contribuir para o reforço do sistema de saúde em Cabo Verde”, afirmou, mostrando-se convencida de que a MORABI vai concentrar o máximo de esforço para executar bem este projecto para o desenvolvimento do sector da saúde em Cabo Verde.

Por outro lado, Keiko Egusa desejou que a cerimónia de hoje sirva para contribuir para o reforço dos laços de amizade e de solidariedade existentes entre os dois países.

DR/FP

Inforpress/Fim