Embaixada do Brasil em Cabo Verde promove oficina de banda desenhada

Cidade da Praia, 16 Abr (Inforpress) – A Embaixada do Brasil em Cabo Verde promove de 16 a 18 deste mês, na Cidade da Praia, uma oficina de banda desenhada com o intuito de contribuir para o fortalecimento desta arte no país.

Em declarações à Inforpress, o chefe do sector da cultura da Embaixada do Brasil em Cabo Verde, Bruno Zetala, explicou que a oficina é destinada aos alunos do 11º e 12º ano de escolaridade onde terão a oportunidade de desenvolver técnicas para criação de roteiros e de ilustrações para elaboração das respectivas bandas desenhadas.

“Através de outros projectos promovidos pela embaixada, podemos constatar que existe muito interesse nesta área em Cabo Verde”, sublinhou o responsável, acrescentando que a ideia é que os participantes conheçam um pouco mais sobre aquilo que é feito a nível da banda desenhada no Brasil.

Segundo a fonte, a oficina, que decorre de 16 a 18 deste mês, na Cidade da Praia, conta com a participação de 25 alunos dos diversos liceus e no final terão também a oportunidade de fazer a apresentação pública dos trabalhos desenvolvidos durante o evento.

Por outro lado, assegurou que na quarta-feira, 18, será lançado um concurso de banda desenhada visando estimular os novos talentos cabo-verdianos.

“A ideia é publicar um livro com as melhores histórias de modo a contribuir para a consolidação desta arte em Cabo Verde”, precisou Bruno Zetala, que revelou que o concurso está aberto para amadores que não têm oportunidade a nível profissional de apresentar ou mostrar os seus talentos.

Por seu turno, o formador Marcello Quintanilha disse que durante a oficina vai abordar o panorama da banda desenhada no Brasil, sobre a formalização do seu trabalho, sua influência de modo a atingir, motivar ou promover outras pessoas que queiram seguir o mesmo caminho.

“O meu trabalho é praticamente baseado e fincada na vida que conheci no Brasil, sobre tudo que se refere à formação do meu país como povo, a maneira como nos comportamos e as situações que são impostas no dia-a-dia, ou seja, sou muito ligado à história brasileira”, realçou, adiantando que o que mais lhe motiva é comunicar com as pessoas que agem, que possam ter interesse na mesma faixa de entendimento sobre a vida brasileira no geral.

Marcello Quintanilha é um dos mais conceituados quadrinistas brasileiros e autor de diversos livros de banda desenhada, como “Talco de Vidro”, “O Ateneu e Tungstênio”, este último recentemente adaptado para o cinema.

Em 2009 e 2011 foi galardoado com o troféu de HQ Mix de melhor desenhista brasileiro e com o prémio Fauve Polar SNCF do Festival de Angoulême em 2016 sendo a principal distinção francesa das histórias em quadrinhos.

Promovida pela Ambaixada do Brasil em Cabo Verde, o evento conta com a parceria da Biblioteca Nacional, o Instituto Internacional da Língua Portuguesa e o Ministério da Educação.

AV/ZS

Inforpress/Fim