Elementos do Grupo Pastoral Universitário de Braga “Sementes” realizam intercâmbio na ilha do Maio

 

Porto Inglês, 08 Ago (Inforpress) – Um total de cinco elementos do Corpo Pastoral de Universitários de Braga (Portugal) encontra-se na localidade de Morrinho, na ilha do Maio, para um intercâmbio com a comunidade local.

Ângela Teles, elemento do grupo, disse à Inforpress que o mesmo foi criado desde 2014 pela pastoral da Universidade de Braga, que visa o diálogo intercultural e nessa missão começaram pelas localidades do interior da ilha de Santiago, mas nos últimos tempos decidiram alargá-la para outras ilhas como Fogo e agora Maio.

“Nós vamos um bocadinho à procura do que podemos fazer dentro das nossas possibilidades, desde o sector da saúde, educação, música e outros, e cada um vem de uma área específica, razão por que integramos uma educadora de infância e a música, bem como uma pessoa do ramo da psicologia e mais duas do sector da saúde, sendo o nosso objectivo criar uma ligação com uma comunidade e estar em contacto com as pessoas”, frisou.

Ângela Teles, explicou que há dois anos estiveram na ilha do Maio na vila da Calheta, pelo que este ano optaram pela escolha da localidade de Morrinho, e a estadia tem superado as suas expectativas por ser uma localidade bem organizada e com pessoas muito “amáveis” e que tem participado em todas as actividades programadas.

Por seu lado, Catarina Santos, também integrante do grupo, disse que estes poucos tempos de estadia na localidade de Morrinho têm sido uma experiência “única”, tendo em vista que registaram com muito agrado a recepção que receberam por parte da comunidade local.

“As pessoas são amáveis e nos fazem sentir completamente em casa, apesar de no início ficarmos um pouco receosos porque não conhecíamos esta realidade, mas estamos a ficar surpreendidos com tudo”, notou.

“Hoje fomos fazer uma visita às casas das pessoas para fazermos o rastreio da hipertensão, para medir a glicose no sangue e já fomos com os mais jovens à praia de mar para quebrarmos aquela barreira e criar espaço de diálogo e alguns laços com eles durante a nossa estadia”,  frisou.

Também, Victor Carvalho, outro elemento do grupo entrevistado pela Inforpress sublinha que foram recebidos “de braços abertos”, pelo que estão a sentir o afecto de grande carinho da comunidade local, indicando que os professores de Mourinho estão a dar toda a atenção necessária para que possam conhecer melhor a realidade local.

Segundo disse, no sábado tiveram a possibilidade de realizar uma missa pastoral com a presença do padre Duque que veio com a comitiva para coordenar as actividades, e ainda durante o fim-de-semana puderam levar a cabo uma palestra sobre diversos temas e que contou com a participação de toda a comunidade.

O grupo disse à Inforpress que no final da visita vão fazer a doação de alguns materiais que trouxeram para ser canalizado à escola local e comunidade em geral.

WN/FP

Inforpress/Fim