Eleições/Uni-CV: Ofertas formativas, estatutos e investigação entre os assuntos abordados no debate entre candidatos

Cidade da Praia, 12 Jan (Inforpress) – Ofertas formativas, investigação, estatutos da universidade, regulamento da avaliação, gestão e prestação de contas são alguns dos assuntos que dominaram o debate de hoje entre os quatro candidatos à reitoria da Uni-CV.

O auditório do Campus do Palmarejo, na Cidade da Praia, esteve totalmente cheio neste primeiro dos três debates previstos para a eleição de 19 de Janeiro na Universidade de Cabo Verde (Uni-CV), a que concorrem Judite Nascimento, Artur Furtado, Eurídice Monteiro e Corrine Almeida, sendo que a campanha decorre de 09 a 17 de Janeiro.

Durante um debate de quase quatro horas, a candidata Eurídice Monteiro deixou claro que o propósito da sua candidatura é tornar a Uni-CV um factor de desenvolvimento de Cabo Verde, sendo que para isso, é preciso mudanças nos domínios de ensino, investigação e extensão, do desenvolvimento institucional e das orientações estratégicas.

Para atingir esse desidrato, esclareceu que serão precisos novos modelos de gestão e de participação democrática, autonomia administrativa, pedagógica e financeira de cada um dos polos da Uni-CV e, no quadro destas, das Unidades Orgânicas, através de novos modelos de relação com a reitoria, sem esquecer novos modelos de parcerias com instituições de ensino superior e centros de investigação científica estrangeiros.

Artur Furtado fez saber que a sua candidatura baseia-se num conjunto de princípios relacionados com os estatutos da Uni-CV, os quais, se vencer, deverão ser alterados, aprimorados e aperfeiçoados em vários aspectos, como valores nucleares para a sua equipa reitoral e de gestão da universidade pública de Cabo Verde.

Gestão baseada numa política de transparência e qualidade, uma governação baseada na autonomia, promoção da liberdade para ensinar e investigar, incentivo e motivação ao desenvolvimento de carreiras do pessoal docente, pessoal não-docente e investigador estão, entre outros, os valores da candidatura de Artur Furtado.

Corrine Almeida asseverou que o seu programa de acção surge das reflexões que teve no seio da academia e estriba-se em cinco eixos: “Organização e gestão”, “Sustentabilidade”, “Produção e transferência de conhecimento”, “Capacitação” e “Humanização”.

Se ganhar as eleições, Corrime Almeida propõe a participação de todos na “construção de excelência” na Uni-CV, transparência e responsabilização em todos os actos de gestão administrativa e académica, gestão eficiente dos recursos materiais, humanos e financeiros, avaliação justa de todos os colaboradores, entre outras acções.

Por sua vez, Judite Nascimento propõe defender a autonomia da Uni-CV, garantir diálogo permanente e participação efectiva dos membros da comunidade académica nas decisões importantes, apostar em estratégias para reforço contínuo do perfil e das condições de trabalho dos docentes e funcionários da instituição.

O reforço da aposta na cooperação e internacionalização da Uni-CV, a consolidação da negociação com os parceiros e o Governo para atingir a sustentabilidade, a aposta na revisão dos estatutos para a adequação ao contexto actual e a aposta em estratégias que promovam e elevam a qualidade do ensino, da investigação e da extensão universitária, também norteiam a candidatura de Judite Nascimento.

Nesta eleição, Judite Nascimento, da Faculdade de Ciências e Tecnologia e eleita nas primeiras eleições realizadas na Uni-CV, em 2014, é candidata à sua própria sucessão, com o lema “Por uma universidade integradora, inovadora e empreendedora, avancemos juntos”.

Eurídice Monteiro, da Faculdade de Ciências Sociais, Humanas e Artes, apresenta-se com o lema “Mudar é preciso: para uma universidade aberta à sociedade cabo-verdiana e suas instituições e ao mundo”, enquanto Corrine Almeida, professora da Faculdade de Engenharia e Ciências do Mar, tem como lema “Rebeldia pela causa Uni-CV”, e Arthur Tavares Furtado, da Escola de Negócios e Governação, tem como lema “Uma nova visão”.

O debate, promovido pela comissão eleitoral e moderado pelo jornalista da Rádio de Cabo Verde, Júlio Vera Cruz, aconteceu no auditório do Campus do Palmarejo e teve a transmissão em directo na Uni-TV.

O segundo debate está agendado para 15 de Janeiro, no Campus da Ribeira de Julião, em São Vicente, e o último previsto para o dia 16 deste mês na Televisão de Cabo Verde (TCV).

DR/CP

Inforpress/Fim