Documentário “Hora di Bai” nomeado na 13ª edição do Festival Rencontres du Film Court em Madagáscar

Cidade da Praia, 24 Mar (Inforpress) – O documentário “Hora di Bai”, de Samira Vera Cruz, é um dos nomeados na categoria de Zébu D’Or de melhor documentário, no Festival Rencontres du Film Court, que acontece de 13 a 21 de Abril, em Madagáscar.

Segundo o site da organização, está é a primeira participação de Cabo Verde neste festival, onde marcam presença 18 países africanos com obras cinematográficas.

“Hora de Bai” (2017), uma curta-metragem vencedora do concurso PALOP-TL UE, no âmbito das comemorações do 25º aniversário da cooperação dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa – Timor Leste (PALOP-TL) com a União Europeia (UE), é uma expressão que se refere ao “evasionismo” do povo de Cabo Verde.

O filme, da realizadora e produtora cabo-verdiana Samira Vera Cruz, retrata a “destruição iminente do bairro 6 de Maio e dos laços dos seus residentes”.

Para a Parallax Produções, uma nomeação destas é uma “grande vitória”, sendo a primeira vez que o documentário se encontra em competição e participa num festival francófono.

“África e o mundo” é o tema desta 13ª edição do troféu “Goldem Zebu”, que será atribuído a cada vencedor em cada categoria, nomeadamente a ficção pan-africana, a animação pan-africana, o documentário pan-africano e o prémio público.

O comité de jurados seleccionou oito documentários, 11 filmes de ficção e cinco filmes de animação para a competição.

O critério baseou-se na qualidade do trabalho e na importância que a África tem no fundo de casa história.

Durante os dias do festival, informou a organização, sessenta e cinco actividades vão acontecer como projecções, reuniões e workshops, nas diferentes partes da capital.

AM/CP
Inforpress/Fim