Directora Regional da OMS faz balanço “bastante positivo” da sua visita a Cabo Verde

Cidade da Praia, 22 Jun (Inforpress) – A directora regional da OMS para África afirmou hoje, no final de sua visita oficial de dois dias a Cabo Verde, que o balanço é “bastante positivo” e que ficou “impressionada” com os ganhos conseguidos no sector da saúde.

A responsável da Organização Mundial da Saúde (OMS) para África Matshidiso Moeti, fez estas declarações, em conferência de imprensa realizada esta sexta-feira na Cidade da Praia, quando fazia o balanço da sua visita de dois dias a Cabo Verde, tendo na ocasião afirmado que o arquipélago “será sempre um exemplo a seguir” na região africana, no que concerne às políticas de promoção da saúde.

“Tive a oportunidade de visitar os hospitais da ilha e vi que aqui no Agostinho Neto se prestam cuidados e tratamentos nomeadamente da hemodialise, visitei também o centro da telemedicina e fiquei muito impressionada com este tipo de serviço, que vou levar a outros países africanos para seguirem este exemplo de Cabo Verde”, afirmou.

Segundo disse, a visita de dois dias a Cabo Verde permitiu conhecer ‘in loco’ as políticas e estratégias do Governo, que na sua opinião “estão bem alinhadas com as políticas da OMS”, possibilitando que todos os cidadãos tenham mais saúde e haja mais equidade na prestação de serviços da saúde.

“Tive a oportunidade de aprender aqui essa questão do grande fardo das doenças não transmissíveis, nomeadamente a hipertensão, diabetes, AVC que são doenças que estão a emergir em todo o continente, mas Cabo Verde está a trabalhar em todas as frentes no combate a essas doenças e no controlo dos surtos dos mosquitos”, realçou.

No que concerne à implementação das políticas de segurança social, Matshidiso Moeti, parabenizou o Governo pelos trabalhos desenvolvidos neste sentido, permitindo que uma percentagem significativa da população cabo-verdiana beneficie da segurança social.

Entretanto, para esta responsável, os ganhos e progressos registados na área da saúde no país são “notáveis”, mas ainda entende que existem desafios a serem ultrapassados, afirmando, que a OMS se compromete em ajudar o arquipélago a “consolidar esses ganhos”.

Por seu turno o ministro da Saúde e da Segurança Social, Arlindo do Rosário, avaliou como “rica” a visita da responsável da OMS para Africa a Cabo Verde, uma visita que, conforme explicou, permitiu dar a conhecer de forma mais detalhada o sistema da saúde do arquipélago.

De acordo com o governante, a visita da directora da regional da OMS serviu para reforçar a cooperação entre Cabo Verde e a OMS nas áreas de políticas e sistemas de saúde, promoção da saúde ao longo do ciclo de vida, prevenção e combate às doenças transmissíveis e não transmissíveis e controlo de emergências e riscos.

Matshidiso Moeti Rebecca, natural do Botsuana, é a primeira mulher a ocupar o cargo de director regional da OMS para a África.

Veterana na área da saúde pública, com mais de 35 anos de experiência nacional e internacional, Moeti integrou o Escritório Regional da OMS para a África em 1999, tendo desempenhado os cargos de directora regional adjunta, sub-directora regional, directora da Divisão das Doenças Não Transmissíveis, representante da OMS no Mali e coordenadora da Equipa de Apoio Interpaíses para os países da África Austral e Oriental.

CM/ZS

Inforpress/Fim