Boa Vista: PAICV denuncia que famílias desalojadas por incêndio continuam abrigadas num polidesportivo

Cidade da Praia, 16 Fev (Inforpress) – O deputado nacional eleito pelo PAICV na Boa Vista, Walter Évora, disse hoje que “grande parte das famílias desalojadas” por causa do incêndio ocorrido em Janeiro, no bairro de Boa Esperança, continuam abrigadas no Polidesportivo Seixal, em Sal-Rei.

Walter Évora fez esta denúncia à Inforpress à margem das Jornadas Descentralizadas do Grupo Parlamentar do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição), na Ilha da Boa Vista, que acontece hoje e domingo, para constatar no local as condições de habitabilidade dos trabalhadores dos resorts turísticos, assim como auscultar a classe empresarial e os agricultores e criadores de gado do norte da ilha.

Conforme disse aquele parlamentar, até agora, “não foi atribuída nenhuma habitação” do “Casa para Todos” para as famílias desalojadas desde o dia 15 de Janeiro passado, em resultado de um incêndio que deflagrou no bairro de Boa Esperança e que consumiu nove barracas.

“Nós conversamos com algumas famílias. Elas dizem que, neste momento, não têm muitas informações e que lhes foi dito que, devido a problemas da não entrada em funcionamento da rede de esgotos, elas têm que continuar à espera”, disse Walter Évora, completando que o seu partido irá confrontar a Câmara Municipal da Boa Vista para ver que informações é que lhes serão dadas.

O presidente da câmara estabeleceu uma quarta-feira, dia 23 de Janeiro, como prazo para resolver o realojamento de cerca de 30 famílias que se encontravam abrigadas no polidesportivo de Seixal, por causa do referido incêndio.

À imprensa, José Luís Santos disse que a alternativa passava por realojar as pessoas socorridas em casas alugadas ou colocá-las nas habitações do “Casa para Todos”, de classe A, alegando “que já pertencem a câmara municipal, transferidas pelo Governo, recentemente”.

O autarca declarou ainda que estas habitações ainda não foram habitadas porque a Estação de Tratamentos de Águas Residuais (ETAR) construída pela autarquia ainda não se encontra em funcionamento, reafirmando que desde a primeira hora a autarquia tem estado a acompanhar de perto a situação.

O bairro da Boa Esperança, outrora denominado bairro da Barraca, é neste momento o maior centro populacional da “ilha das Dunas”, albergando a grande maioria da população proveniente da ilha de Santiago e da costa ocidental africana, que trabalha na construção civil e nas unidades hoteleiras da ilha.

Este bairro tinha sido vítima de outros incendiados nos anos 2000 e 2004.

GSF/AA

Inforpress/Fim