Deputados homenageiam os 25 anos de ordenação sacerdotal do bispo do Mindelo

 

Cidade da Praia, 30 Nov.  (Inforpress) – Os 25 anos da ordenação sacerdotal do bispo do Mindelo, D. Ildo Fortes, e a inauguração do novo sistema de abastecimento de água ao município de São Domingos abriram hoje as intervenções na sessão plenária do Parlamento.

A deputada Ana Paula Santos, eleita nas listas do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV-oposição), foi quem rendeu uma “justa homenagem” ao bispo do Mindelo, ele também um filho do Sal.

Uma missa solene nesta quarta-feira, 29, na pró-catedral de Nossa Senhora da Luz (São Vicente) assinalou a comemoração da ordenação sacerdotal do bispo do Mindelo.

Um ciclo de conferências, ministrado pelo cardeal patriarca de Lisboa, Dom Manuel Clemente, contemplou a referida data comemorativa.

João Gomes, eleito nas listas do Movimento para a Democracia (MpD-poder) pelo círculo eleitoral de São Vicente juntou a sua voz à da deputada Paula Santos nesta homenagem a D. Ildo.

Emanuel Lopes (MpD) preferiu felicitar o Governo pela inauguração do projecto de interligação do sistema de abastecimento de água de Ponta d´Água, Achada São Felipe, Achada Limpo, Palha Sé, Achada Grande, Monte Vaca na Cidade da Praia e em Ribeirão Chiqueiro e Neta Gomes no concelho de São Domingos.

Segundo o parlamentar, este projecto “estruturante” vai disponibilizar diariamente 6.500 metros cúbicos de água às populações das localidades atrás referidas, pelo que, diz ele, é “motivo de alegria”.

Para Rui Semedo (PAICV), a alegria referida pelo deputado ventoinha é consequência de uma “herança de peso” que recebeu o Governo do MpD.

“Esta água que hoje chega a muitas casas do município de São Domingos e no norte da Praia e um pouco por todas as ilhas, onde há sinais dos resultados do II Compacto do Millennium Challenge Account, foi assinado pelo Governo do PAICV”, esclareceu Rui Semedo, acrescentando que isto demonstra que o país teve um “Governo que trabalhou para Cabo Verde”.

No dizer de Emanuel Barbosa, outro deputado do MpD, a herança referida por Rui Semedo ficou a dever-se ao MCA, porque, de acordo com as suas palavras, “o PAICV tem dificuldades em fazer gestão da coisa pública”.

LC/ZS

Inforpress/Fim