CSU: Formandos habilitados para identificar e classificar pessoas a beneficiar dos programas sociais

Cidade da Praia, 29 Ago (Inforpress) – Os técnicos do município da Praia que participaram na acção de capacitação sobre o Cadastro Social Único (CSU) afirmaram, hoje, estar mais habilitados para registar, identificar e classificar as pessoas que poderão beneficiar dos programas sociais no país.

Em declarações à Inforpress, Rosangela da Veiga , que participou na formação , cujo encerramento acontece esta tarde, na Câmara Municipal da Praia, manifestou a sua satisfação por habilitar-se de técnicas que lhe vai ajudar a trabalhar na classificação e identificação de pessoas com base na situação socioeconómica, de uma forma informatizada.

“É um instrumento de trabalho que irá contribuir para situarmos sobre a situação económica das pessoas, levando a que as autoridades conheçam melhor a realidade socioeconómica dessas famílias, assim como dados de cada um dos componentes da mesma”, disse.

Para Aliria Ramos, Técnica Social da autarquia da Praia, a utilização do CSU em Cabo Verde traduz-se numa “grande evolução do sistema” , uma vez que os dados da situação económica das famílias estarão informatizados, para que os mais vulneráveis possam conseguir benefícios sociais.

A partir de agora, assegurou, quem não estiver cadastrado não irá conseguir beneficiar de programas sociais do Governo ou das câmaras municipais.

Segundo o inquiridor Ailton Ribeiro, o Cadastro Social Único vai permitir que os programas sociais sejam direccionados para pessoas que mais necessitam, evitando assim a duplicação de ajuda como tem vindo a acontecer.

O CSU é um instrumento novo na gestão da área social e irá permitir que os potenciais beneficiários sejam inscritos no programa social e classificados de acordo com o seu grau de pobreza.

A acção de capacitação para técnicos municipais na vertente utilização, registo e actualização do Cadastro Social Único, que irá abranger todos os municípios do país até 04 de Outubro, enquadra-se no processo de operacionalização do CSU e tem como objectivo o reforço da capacitação dos utilizadores municipais.

No país já estão inscritas 19 mil famílias, sendo que 12 mil já estão classificadas e destas, seis mil já estão identificadas como famílias que podem usufruir de tarifa social de água, rendimento de inclusão, entre outros benefícios .

PC/JMV

Inforpress/Fim