Criminalidade diminui em cerca de 32% na ilha do Sal no 1º semestre deste ano – Polícia Nacional

Santa Maria, Ilha do Sal, 16 Jul (Inforpress) – A ilha do Sal registou no primeiro semestre de 2018 uma redução dos casos de criminalidade na ordem dos 32%, conforme informações da Polícia Nacional (PN) avançadas à Inforpress.

“É com grande satisfação que recebemos as estatísticas desse semestre que indicam que o índice de criminalidade baixou 32% na ilha do Sal.  É a região do país que registou a redução mais expressiva nesse período, sendo que a média nacional da redução foi de 18,8%”, indicou o director nacional adjunto da PN, Daniel Pina.

Aquele dirigente policial, que falava à Inforpress na sequência da reunião realizada na tarde de domingo para avaliação e afinação do plano operacional de segurança da XII Cimeira dos Chefes de Estado e do Governo da CPLP a decorrer na cidade de Santa Maria, disse que ainda este mês as novas estatísticas serão divulgadas.

Daniel Pina salientou que esses resultados são frutos dos investimentos feitos pelo Governo na Polícia Nacional (PN), traduzido no reforço de recursos humanos e meios materiais.

“Foi realizado um elevado investimento na ilha. Só para terem uma ideia houve momento em que tínhamos dois policiais em Santa Maria: um trabalhava 24 horas e o as seguintes 24 horas. Hoje temos na ilha do Sal 160 policiais” precisou, indicando que do ano passado para este ano, o comando regional da ilha foi reforçado com 18 efectivos mais oficiais.

Trata-se, conforme explicou, de efectivos especiais com as valências do corpo de intervenção existente na cidade da Praia.

Sal, a maior ilha turística de Cabo Verde registou nos últimos tempos uma onda de assaltos a residências, instituições e pessoas, motivo que esteve na base da manifestação de cidadãos realizada no mês de Maio, no Sal.

Para a realização da XII Cimeira dos Chefes de Estado e do Governo, que já trouxe para a ilha mais de mil pessoas, o comando policial foi reforçado com mais de 200 efectivos por forma a garantir a segurança tanto do evento como da população.

Na Cimeira vão participar os Presidentes da República de Cabo Verde, de Portugal, do Brasil, de Angola, de Moçambique, de São Tomé e Príncipe, da Guiné-Bissau e da Guiné Equatorial. Do grupo dos países que integram a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) apenas não participará no encontro o presidente de Timor Leste.

“Nós tivemos a necessidade de trazer um reforço da Praia porque nós aqui não temos pessoal especializado em segurança de altas entidades. E viemos com reforço considerável para garantir assistência a todas as delegações”, disse o director nacional adjunto PN, Daniel Pina.

MJB/ZS

Inforpress/fim