Crescimento económico volta a abrandar mas conjuntura continua favorável – INE

Cidade da Praia, 16 Abr (Inforpress) – O ritmo de crescimento económico voltou a abrandar no primeiro trimestre deste ano, mas a conjuntura económica manteve favorável, revelou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE), indicando ainda que a evolução é positiva face ao trimestre homólogo.

De acordo com os dados do Inquérito de Conjuntura aos Agentes Económicos, divulgados hoje, o turismo, a indústria transformadora, a construção civil e os transportes e serviços auxiliares aos transportes são os sectores cujo indicador de confiança registou tendência decrescente no último trimestre.

O sector do turismo manteve a tendência descendente do último trimestre, mas o indicador situou-se acima da média da série e manteve-se no mesmo nível relativamente ao trimestre homologo.

“A conjuntura no sector é favorável. Os empresários apontaram o excesso de burocracia e regulamentações estatais como sendo o principal obstáculo do sector no 1º trimestre de 2018”, refere o documento distribuído à imprensa, que mostra que a indústria transformadora seguiu a mesma tendência, isto é, tendência decrescente, mas com conjuntura favorável.

Já na construção civil, o indicador fixou-se abaixo da média da série. Apesar de ter evoluído positivamente face trimestre homologo, a conjuntura no sector foi desfavorável, tendo os empresários apontado a deterioração das perspectivas de vendas e o nível elevado da taxa de juros como sendo os principais constrangimentos do sector.

Do mesmo modo, no sector dos transporte e serviços auxiliares aos transportes, o indicador de confiança contrariou a tendência ascendente dos últimos trimestres, situando-se abaixo da média da série. No entanto, o indicador evoluiu positivamente face ao trimestre homólogo, mas a conjuntura no sector foi desfavorável.

Situação contrária foi registada nos sectores do comércio em estabelecimentos, cujo indicador de confiança registou o valor mais alto dos últimos 33 trimestres consecutivos, evoluindo positivamente face ao mesmo período do ano 2017, que resultou na conjuntura económica favorável.

Situação similar foi registada junto dos operadores do turismo residencial. Neste sector, também o indicador de confiança registou o valor mais alto da série, evoluindo positivamente face ao trimestre homologo. A conjuntura também foi favorável.

Entretanto, os empresários queixaram-se da insuficiência da procura e as dificuldades no acesso ao crédito bancário foram os principais obstáculos do sector no decorrer do 1º trimestre 2018.

MJB/CP

Inforpress/fim