CPLP vai criar rede para monitorizar cumprimento da Agenda 2030 da ONU

Lisboa, 31 Mar (Inforpress) – Os membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) acordaram criar uma rede para monitorizar o cumprimento dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável, a cumprir até 2030, cujo balanço pretendem apresentar dentro de alguns anos às Nações Unidas.

Representantes dos nove países da comunidade lusófona estiveram reunidos em Lisboa na 34.ª reunião dos pontos focais da cooperação, em que aprovaram o financiamento de projetos, incluindo um sobre ética no desporto, uma iniciativa no âmbito da campanha ‘Juntos Contra a Fome’, o apoio a um congresso sobre educação ambiental (São Tomé e Príncipe) e o relativo às terminologias científicas, a cargo do Instituto Internacional da Língua Portuguesa (IILP).

No final do encontro, o director de Cooperação da CPLP, Manuel Lapão, adiantou que os países pretendem criar uma rede de pontos focais dedicada ao cumprimento dos ODS (Agenda 2030 das Nações Unidas), tema que foi o escolhido para a presidência brasileira da organização lusófona, actualmente em curso.

A ideia passa por encontrar denominadores comuns aos nove membros e criar “um documento, uma plataforma eletrónica com uma bateria de indicadores estatísticos da CPLP, associados ao cumprimento da agenda dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável”, explicou.

Se, por um lado, é “um grande desafio” encontrar estes denominadores comuns numa comunidade composta por nove países que se localizam em quatro continentes e têm níveis de desenvolvimento diferentes, a iniciativa pode também ser “uma oportunidade”.

“Se daqui a três ou quatro anos conseguirmos estar nas Nações Unidas apresentando um relatório de execução da CPLP nesses indicadores que identificámos como comuns, quer do ponto de vista da visibilidade quer do ponto de vista de afirmação da comunidade como um todo, é uma vitória que não podemos negligenciar”, realçou o responsável.

Na última cimeira da CPLP, que decorreu em Brasília em Novembro passado, os chefes de Estado e de Governo dos Estados-membros comprometeram-se a cumprir a Agenda 2030, nomeadamente com a “implementação dos 17 ODS e das 169 metas associadas, de forma equilibrada e integrada, de acordo com as diferentes realidades, as capacidades, os níveis de desenvolvimento, respeitando as políticas e prioridades nacionais”.

Lusa/Inforpress/Fim