Cooperação económica e comercial é um pilar essencial para estreitar as relações entre China e países lusófonas – Fórum Macau

 

Cidade da Praia, 16 Jun (Inforpress) – A secretária-geral do Fórum Macau, Xu Yingzhen, considerou hoje, na Cidade da Praia, que a cooperação económica e comercial é “um pilar essencial” para estreitar as relações entre a China e os países de língua portuguesa.

No seu discurso no acto de abertura do Encontro de Empresários para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, que decorre até domingo, Xu Yingzhen sublinhou que este encontro tem um papel muito importante na promoção de parcerias e oportunidades de negócio.

Segundo a responsável, a cooperação entre a China e os países de língua portuguesa constitui “a principal tarefa do Fórum de Macau que, através do seu secretariado, tem vindo a envidar esforços para alargar o âmbito de cooperação” entre a China e os países de língua portuguesa.

A China pretende estreitar a cooperação com os diversos países do mundo, a fim de promover a globalização de uma economia mais inclusiva e contribuir com o seu esforço para o estado do desenvolvimento global, afirmou a secretária-geral do Fórum Macau.

Em 2016, as trocas comerciais entre a China e os países de língua portuguesa atingiram cerca de 100 mil milhões de dólares americanos, informou Xu Yingzhen aos participantes do Fórum.

A secretária-geral do Fórum Macau informou igualmente que neste momento o saldo de investimento das empresas chinesas nos países lusófonas é de cerca de 50 mil milhões de dólares americanos.

“Espero que os participantes do Fórum aproveitem a singularidade de Macau, enquanto plataforma de serviços para a cooperação comercial entre a China e os países de língua portuguesa”, adiantou.

Por sua vez, o vice-presidente do Conselho para Promoção do Comércio Internacional da China (CCPIT), Zhan Gwei, disse que através do Fórum os participantes podem aproveitar “as boas relações” entre os países lusófonos e a China para estabelecer e reforçar parcerias económicas e comerciais.

“Os nossos investimentos directos nos países de língua portuguesa têm vindo aumentar gradualmente nos últimos anos”, confirmou Zhan Gwei.

Zhan Gwei, que sublinhou a importância da participação da China no Fórum da Cidade da Praia, disse que a África dispõe de várias vantagens em termos de investimentos que podem ser aproveitadas pelos empresários chineses.

No caso concreto de Cabo Verde, Zhan Gwei disse que pode desenvolver a cooperação nas áreas de economia marítima, energias renováveis, pesca, entre outros sectores de investimentos.

Na ocasião, Zhan Gwei disse ainda que a China tem estado a participar no Fórum de Macau desde o inicio, em 2005, porque é “uma plataforma muito importante” para estreitar as relações entre os empresários.

“Através desta plataforma registamos um aumento no volume das trocas comerciais e os empresários têm mostrado interesse em participar neste Fórum. Espero que os empresários aproveitem este encontro para fazer mais negócios e estabelecer mais parcerias”, salientou Zhan Gwei.

Durante o encontro da Cidade da Praia, serão realizados workshops em que cada participante terá a ocasião de apresentar as oportunidades de negócios, assim como a possibilidade de investimento que o seu país oferece.

Está previsto também o desenvolvimento de alguns painéis, como a economia azul e sector das pescas, financiamento ao sector privado, industrialização e Cabo Verde como plataforma para a facilitação de negócios entre a China e os países de língua portuguesa, apresentação do fundo de desenvolvimento do fórum de Macau, pela CDB Capital.

JL/JMV

Inforpress/Fim