Congresso dos EUA não vai aprovar dinheiro para muro tão depressa como Trump deseja

Washington, 29 Mar (Inforpress) – Os líderes republicanos do Congresso dos Estados Unidos revelaram hoje que vão rejeitar a ideia do Presidente, Donald Trump, de aprovar o dinheiro para o muro com o México através de um suplemento a uma lei de financiamento para o Governo.
De acordo com o The Washington Post, a Casa Branca terá pedido 33.000 milhões de dólares (30.560 milhões de euros) adicionais para a Defesa e segurança fronteiriça com cortes de 18.000 milhões (16.669 milhões de euros) em programas de investigação médica e de trabalho.
O projecto de lei de financiamento no qual Trump pretende incluir esses itens suplementares vai dotar o Governo com fundos para o período a partir de 28 de Abril e o seu bloqueio no Congresso podem parar o Governo.
Como os democratas ameaçaram opor-se a qualquer iniciativa que o Congresso pretenda aprovar para a construção do muro que Trump quer construir na fronteira com o México, um bloqueio deixaria o Governo sem financiamento.
O senador republicano Roy Blunt disse na terça-feira que as duas câmaras do Congresso estão muito perto de alcançar um acordo sobre a lei de financiamento e que o dinheiro para o muro poderá ser abordado “mais para a frente”, no final do ano.
O seu colega republicano Richard Shelby, citado pelo The Washington Post, disse que introduzir o suplemento com dinheiro para o muro era dar uma desculpa aos democratas para bloquearem todo o projeto de lei, e por conseguinte o Governo.
Por sua vez, a senadora democrata Claire McCaskill previu na terça-feira que a construção do muro tenha um custo total de 67.000 milhões de dólares (62.070 milhões de euros), longe dos 21.600 (20.004 milhões de euros) estimados pelo Governo ou dos 8.000 (7.411 milhões de euros) que Trump disse inicialmente que iria custar.
De acordo com a senadora, ao extrapolar os 2.800 milhões de dólares (2.592 milhões de euros) que Trump solicitou oficialmente para os primeiros 120 quilómetros no orçamento de 2018, a cifra para toda a fronteira alcança os 67.000 milhões de dólares (62.070 milhões de euros).
Lusa/Inforpress/fim