Concurso para obras do Terminal de Cruzeiros será lançado dentro de poucas semanas – PCA da Enapor (c/áudio)

Mindelo, 11 Out (Inforpress) – O concurso público para as obras do Terminal de Cruzeiros, no Mindelo, vai ser lançado dentro de “poucas semanas”, com a possibilidade destas se iniciarem “o mais tardar” no 1º trimestre de 2019.

A garantia dada pelo presidente do conselho de administração da Enapor, Portos de Cabo Verde, Jorge Maurício, que falava hoje na cerimónia de abertura, no Mindelo das jornadas técnicas, enquadradas na Feira das Actividades Económicas Ligadas ao Mar – Expomar, que também arranca nesta quinta-feira.

O “Mindelo Cruise Terminal”, segundo a mesma fonte, vai ser uma realidade e as obras iniciam, “o mais tardar no primeiro trimestre de 2019” realçou.

“Já estamos em condições de lançar o concurso para as obras que estão orçadas em 30 milhões de euros e que vão transfigurar a cidade do Mindelo”, declarou Jorge Maurício, que espera trazer uma oferta turística “completamente diferente e com qualidade”, que vai se adequar também à da região da Macaronésia.

“O nosso propósito é ter toda a região da Macaronésia como um grande “hotspot” de cruzeiros, desde os Açores, passando pela Madeira, Canárias e Cabo Verde”, completou, com a confirmação de o país estar, juntamente com a Associação Atlântica de Cruzeiros, a promover este empreendimento, com participações em feiras com stands próprios.

“É preciso infraestruturas, pois, um passageiro de cruzeiro quer ter as mesmas condições que têm nos aeroportos, de segurança, de higiene, de conforto e de fácil mobilidade à cidade”, considerou.

E é isso mesmo, di-lo Jorge Maurício, que “se está a propor e o que se vai construir” para “melhorar a oferta turística” no Mindelo e servir Cabo Verde, mais particularmente as ilhas de São Vicente e Santo Antão com a proposta “uma escala, dois destinos”.

O presidente da Enapor anunciou ainda outro projecto em curso, para “dar corpo” ao modelo de gestão e ao plano estratégico 2018 – 2030, que é a implementação de centros de logísticas em todos os portos de Cabo Verde.

Para este projecto, conforme garantiu o gestor, já se concluiu o estudo de viabilidade.

“Isto é importante, porque vai permitir passar do sistema tradicional para o sistema portuário moderno”, reforçou, explicando, com a ideia de ser a “única forma”, que o país tem de dar um “salto qualitativo” ao viabilizar esse projecto orçado em 12 milhões de euros.

Estes projectos que constam dos planos da empresa gestora dos portos de Cabo Verde vão ao  encontro da visão do Governo, representado no evento pelo secretário de Estado, Paulo Veiga, que presidiu à cerimónia e para quem o sector da economia marítima representa, hoje, o “coração” da economia cabo-verdiana.

“Capaz de criar empregos e fomentar o desenvolvimento de todas as outras actividades ligadas ao mar, especialmente o turismo costeiro e marítimo, a pesca, o transporte marítimo, reparação naval, desportos náuticos e aquáticos, formação e literacia e investigação”, salientou.

Paulo Veiga disse estar o executivo “ciente” de que o desenvolvimento do país “passa por regenerar” actividades relacionadas com o mar e oceanos, “conhecendo, gerindo e preservando sustentavelmente os seus recursos”.

Por outro lado, está-se convicto ainda de existir uma carência de investimentos em conhecimento, expertise e competências nos recursos marinhos para desenvolver esse “sector chave”, precisou.

Neste sentido, Paulo Veiga considerou ser esses seminários, que decorrem no Mindelo entre hoje e quinta-feira, uma “excelente oportunidade” para receber “subsídios importantes” nas áreas de sustentabilidade ambiental e oceânica, desenvolvendo estratégias para apoiar a promoção e o fortalecimento das economias sustentáveis baseadas no oceano.

A abertura do seminário, que contou ainda com a participação do presidente do conselho directivo da Pró-Empresa, Pedro Barros, dá o pontapé de saída na Expomar, inaugurada esta tarde com actividades alusivas também às comemorações do 25º aniversário da Guarda Costeira, na praia da Laginha, com demostrações aero-navais.

Segue-se depois a cerimónia de abertura oficial da feira, às 17:30, nas instalações da FIC, presidida pelo ministro da Economia Marítima, José Gonçalves.

LN/FP

Inforpress/Fim