Cimeira CPLP: Presidente Guiné Equatorial garante que o país tem cumprido o roteiro da integração na Comunidade

Santa Maria, ilha do Sal, 17 Jul (Inforpress) – O Presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang garantiu hoje que o seu país tem seguido de “forma paulatina e segura” o roteiro da integração na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Teodoro Obiang que discursava na sessão de abertura da XII Cimeira da Chefes de Estado e do Governo da CPLP, que hoje inaugurou os trabalhos na cidade de Santa Maria, ilha do Sal, não fez entretanto, qualquer referência à pena de morte ainda em vigor, tendo centrado a sua intervenção na importância da língua portuguesa.

“Após quatro anos da nossa admissão à CPLP o roteiro da nossa integração tem sido cumprido de forma paulatina e segura. Para isso, é necessário o apoio e a colaboração dos Estados membros da Comunidade pois implica o uso da língua portuguesa por parte dos nossos cidadãos”, disse.

O presidente equatoguineense realçou a importância e o valor cultural e económico da língua portuguesa que, conforme disse, deve ser “alimentado e difundido” por todos os Estados membros.

“Para tal é primordial a criação de escolas e de diferentes modalidades a fim de cultivar o valor excecional de comunicação. No âmbito cultural as universidades da Guiné Equatorial acabam de incorporar uma disciplina de língua portuguesa no seu curriculum de ensino. Participamos também da criação da associação de educação à distância dos países de língua portuguesa”, indicou.

Para além destas acções adiantou ainda que os meios de comunicação social estão a transmitir diariamente conteúdos em língua portuguesa e pela primeira vez este ano os alunos do país tiveram a oportunidade de participar do programa brasileiro que oferece centenas de vagas em mais de 100 universidades brasileiras.

Teodoro Obiang aproveitou a oportunidade para falar dos ganhos do país, não só em termos políticos como em matéria de desenvolvimento económico, conseguidos nos seus 50 anos de país independente e salientou que a Guiné Equatorial “está a seguir a rota de se tornar num país emergente”.

A nível internacional, realçou que a Guiné Equatorial é membro não político do Conselho de Segurança das Nações Unidas e presidente do Comité de Sanção e membro do Conselho de Paz e Segurança da União Africana.

“A Guine Equatorial está determinada em defender as políticas de não ingerência nos assuntos internos e reitera o seu compromisso e vontade política de contribuir para o reforço da amizade, solidariedade e cooperação mutuamente vantajosa. Finalmente reafirmo que a nossa visão estratégica da CPLP é e será sempre o nosso guia” finalizou.

Durante a sessão de abertura discursaram todos os Chefes de Estado presentes, tendo o presidente de Timor-Leste sido substituído pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Dionísio Soares.

A XII Cimeira da CPLP tem como lema “A cultura, as pessoas e os Oceanos” e marca o início da presidência de Cabo Verde dessa organização criada em 1996 para a concertação político-diplomática entre os seus Estados-membros, nomeadamente para o reforço da sua presença no cenário internacional, tendo também como um dos seus objectivos a promoção e difusão da língua portuguesa.

MJB/FP

Inforpress/fim