Cidade Velha: A gestão urbana é um dos principais constrangimentos do sítio histórico – responsável

Cidade da Praia, 20 Mar (Inforpress) – A coordenadora do Gabinete de Gestão de Cidade Velha Património Mundial (GGCVPM), Samira Silva, admitiu hoje que um dos principais constrangimentos do sítio histórico tem a ver com a questão da gestão urbana.

Segundo a responsável, que falava à imprensa à margem do workshop sobre “Gestão urbana: protecção e valorização da paisagem urbana histórica”, promovido pelo Instituto do Património Cultural (IPC), a gestão urbana da Cidade Velha, Sítio Histórico Património Mundial da Humanidade, tem gerado “grandes expectativas” por parte da população local, mas também das instituições.

“Um dos principais constrangimentos do sítio é a questão da gestão urbana. Temos ainda alguma desorganização do espaço, carência de equipamentos e infra-estruturas, assim como a questão da acessibilidade e sinalética, ou seja, um conjunto de elementos que precisam ser revistos para melhorar a imagem do Património Mundial da Humanidade”, frisou.

Entretanto, Samira Silva está confiante de que a questão do título da Cidade Velha como Património Mundial da Humanidade “não está em risco”, mas que a gestão urbana e o controlo da “pressão urbanística” precisam ser melhorados, já que os responsáveis “não estão satisfeitos com a imagem da Cidade Velha”.

A opinião foi partilhada pelo coordenador do projecto de reabilitação da Igreja de Nossa Senhora do Rosário e técnico do IPC, Adalberto Tavares, um dos oradores no workshop, que reiterou que o “desafio maior tem a ver com a urbanização da Cidade Velha”, que, na sua opinião, “está num bom caminho”, mas que se medidas não forem adoptadas atempadamente “pode piorar”.

“O nosso trabalho é tentar resolver essas questões no dia-a-dia. O desafio maior é conter construções que não adequam à norma e para isso tem que haver um trabalho de sensibilização. Mas com os subsídios que vamos recolher no workshop vamos poder implementar o plano de acção para resolver esses problemas de uma vez por todas”, considerou.

Para além de Adalberto Tavares, o director do Gabinete Técnico da Câmara Municipal de Ribeira Grande de Santiago, Amândio Tavares, é também orador no workshop que acontece no Centro Cultural da Cidade Velha e destinado às instituições que actuam na gestão urbana do sítio, associação comunitária em representação da comunidade e empreendedores locais.

O encontro, que acontece no quadro actualizado do plano de gestão da Cidade Velha 2018-2022, visa discutir soluções para o desenvolvimento urbano sustentável para o horizonte 2022, sem colocar em causa a preservação do património arquitectónico e arqueológico, em benefício da melhoria da qualidade de vida e bem-estar dos residentes e visitantes.

DR/JMV

Inforpress/Fim