CEMFA admite a criação de um museu para a instituição castrense

Cidade da Praia, 16 Jun (Inforpress) – O chefe do Estado Maior das Forças Armadas (CEMFA) Anildo Morais disse hoje, na Cidade da Praia, que a instituição castrense irá ter o seu próprio museu, para contar a história e o percurso da corporação militar.

Em declarações à Inforpress, Anildo Morais explicou que a criação do museu para a entidade é necessária, mas que requer, no entanto, algum esforço financeiro.

“Um projecto do tipo tem seus custos naturalmente. Contudo é necessário, porque é a história das Forças Armadas, mas também de Cabo Verde”, realçou o CEMFA, revelando que a construção do museu não se materializou ainda devido a outras prioridades que eram mais urgentes.

Além da criação do museu, o major-coronel Anildo Morais admitiu a necessidade de uma aposta também cada vez mais forte da instituição castrense na Policlínica Militar do quartel Eugénio Lima, Praia, um programa vocacionado para prestações de cuidados médicos.

“São projectos e programas que estamos a assumir com muita seriedade. Policlínica tem vindo a funcionar normalmente para os militares, no activo, na reserva e na reforma, mas também para as comunidades da vizinhança, na zona de Eugénio Lima”, informou o CEMFA, realçando que só no ano passado foram feitas mais de duas mil consultas à população civil.

“Isso é uma responsabilidade que nos compete e sempre que somos solicitados temos dado boa resposta, intervindo em várias zonas”, disse.

O coronel-major Anildo Morais completou no passado dia 03 de Junho, dois anos da sua nomeação como chefe do Estado das Forças Armadas de Cabo Verde.

HR/FP

Inforpress/Fim