CCISS alarga as suas competências para poder apoiar os agricultores de Sotavento

 

Cidade da Praia, 19 Mai (Inforpress) – A proposta de alteração dos estatutos da Câmara de Comércio, Indústria e Serviços de Sotavento (CCISS), visando alargar as suas competências para poder apoiar os agricultores da região, foi hoje aprovada na Assembleia-Geral Ordinária.

“Com a alteração dos estatutos, aumentamos o nosso campo de actuação e a direcção da CCISS tem toda a legitimidade para intervir no sector de agricultura”, explicou o presidente da CCISS, Jorge Spencer Lima, em declarações à Inforpress.

A CCISS propõe a partir de agora dar todo o apoio possível aos agricultores de Sotavento, através de programas de formação, de incubação de empresas, e desenvolvimento de projectos de negócio na área do agro-business, num momento em que já se faz sentir alguma empresarialização no sector, informou Jorge Spencer Lima.

O presidente da CCISS justificou a necessidade de se alargar essa intervenção tendo em conta que nos últimos anos houve “um grande investimento na mobilização da água em Cabo Verde e o resultado é positivo”.

Segundo Jorge Spencer Lima, decorrente desse resultado, hoje já se fala de agricultura como negócio em Cabo Verde, como um sector que pode trazer mais-valia para economia do país.

Aliás, Spencer Lima recordou que o repto de incluir a agricultura no campo de actuação da CCISS foi lançado pelo primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, numa reunião no concelho de Santa Cruz, interior de Santiago.

Disse também que após o repto do primeiro-ministro, a CCISS reuniu-se com o ministro da Agricultura, Gilberto Silva, com o objectivo de delinear algumas acções conjuntas no sector com boas perspectivas de desenvolvimento no país, sobretudo quando se fala de agrobusiness que exige o apoio aos agricultores e o reforço de produção.

“É preciso que haja alguém que apoie os pequenos produtores, sobretudo para que possamos investir mais na tecnologia. É preciso produzir mais e melhor, produzir duas ou três vezes por ano e não ficar eternamente no sistema tradicional de produção”, defendeu.

Para produzir mais e com qualidade, Jorge Spencer Lima propõe a introdução de novas tecnologias e a mecanização da agricultura em Cabo Verde.

“É preciso encontrar uma solução. A ideia é criar uma empresa logística que possa ajudar as pessoas a melhorarem a sua produção e comercialização dos produtos”, propõe o presidente da CCISS.

A direcção da CCISS já começou a discutir com o governo um plano de acção no sentido de melhorar a cadeia de negócios no sector de agricultura, informou Jorge Spencer Lima.

“Neste momento, há uma grande reclamação que os produtos agrícolas não chegam aos grandes consumidores (as ilhas mais turísticas, Sal e Boa Vista). Para isso é preciso tomar algumas medidas a nível da qualidade dos produtos, da comercialização, dos transpores, entre outros”.

Jorge Spencer Lima constactou igualmente, que a unificação de mercado é “um dos grandes problemas” do país neste momento.

“Um pequeno agricultor do Fogo e de Santo Antão não consegue resolver o problema de transportes. Sem a resolver a questão dos transportes não se resolve o problema de agricultura, da indústria, de comercio e de serviços no país”, afirmou o economista.

JL/JMV

Inforpress/Fim