Capacitação de formadores do Cadastro irá dar suporte a muitos programas sociais do país – responsável

Cidade da Praia, 13 Ago (Inforpress) – A directora de Serviço da Direcção-geral da Inclusão Social afirmou hoje que a capacitação de formadores do Cadastro Social Único irá dar suporte a muitos programas sociais do país e aumentar a qualidade dos dados recolhidos no terreno.

Em declarações à Inforpress, à margem da formação de formadores do Cadastro Social Único, promovida pelo Ministério da Família e Inclusão Social, que acontece durante três dias, na Cidade da Praia, Mavlinda Cabral disse que esta acção de formação é fundamental para garantir a qualidade nas informações e processo de registo do Cadastro Social Único no país.

“Sabemos que o CSU é alimentado pelos dados que são recolhidos directamente nas famílias e um dos grandes objectivos dessa formação é passar todos os procedimentos metodológicos, capacitando técnicos na utilização da plataforma de registo e levantamento e preparar os instrumentos de formação às equipas municipais”, elucidou.

Conforme explicou, pretende-se ainda com esta iniciativa criar nas câmaras municipais competências necessárias para o desenvolvimento sistemático de capacitações às equipas de terreno, que irão, consequentemente, melhorar a abordagem dos inquiridores aos inquiridos das famílias.

Segundo Mavlinda Cabral, a recolha das informações dos agregados familiares compete às câmaras municipais, tendo avançado que nos dois primeiros anos de execução, o Governo pretende auxiliar os municípios no reforço das capacidades dos recursos humanos e na aquisição de equipamentos e meios logísticos para os processos de recolha.

“As câmaras municipais desde a execução da primeira fase do CSU reconheceram a importância desse processo, ou seja, reconheceram que o CSU irá dar suporte a muitos programas que irão responder, de forma focalizada, justa e transparente, àqueles que mais precisam”, realçou, afirmando que à luz dessa acção de formação será elaborado um manual de controlo dos dados que forma recolhidos na primeira fase do cadastro.

De acordo com esta responsável, desde o mês de Março de 2018, o Ministério da Família e Inclusão Social está a trabalhar na análise e validação dos instrumentos de gestão do Cadastro Social, que, conforme referiu, irá classificar as famílias inscritas no CSU e identificar as que são elegíveis para serem beneficiárias dos programas sociais.

Disse, por outro lado, que até a presente data, já foram realizados levantamentos de terreno em todas as ilhas com excepção dos municípios de São Miguel, Tarrafal de Santiago, São Domingos e São Lourenço dos Órgãos.

A formação que iniciou hoje e termina no próximo dia 16 de Agosto é destinada a técnicos do Ministério da Família e Inclusão Social, consultores, coordenadores locais do Cadastro Social Único dos municípios da Praia, S. Vicente, Santa Cruz, Ribeira Grande de Santiago, São Nicolau e Boavista.

O Cadastro Social Único já registou 60 mil pessoas de 19 mil agregados familiares em 19 dos 22 concelhos do país em situação de risco.

CM/JMV

Inforpress/Fim