Câmara da Praia vai avançar para parceria público-privada para disponibilizar terreno aos munícipes

Cidade da Praia, 21 Mar (Inforpress) – A Câmara Municipal da Praia vai avançar para parceria público-privada com o objectivo de facilitar aos munícipes o acesso a lotes de terreno para construção de habitação própria.

A informação foi avançada à Inforpress pelo vereador para a área de Urbanismo, Habitação e Planeamento Territorial, Paulo César Velhinho Rodrigues, precisando que a edilidade praiense tem, actualmente, mais de 10 mil pedidos de munícipes para a compra de terreno.

Conforme explicou,neste momento, câmara municipal não tem terrenos disponíveis e, apesar deliberação que dita a recolha de lotes com mais de 10 anos de aforamento para posterior venda através de concursos, a autarquia não tem tido capacidade para responder a tantos pedidos.

“Temos tido muitas solicitações de terreno, mais de 10 mil pedidos para a compra. E, então, a ideia que estamos a tentar materializar é fazer parcerias público-privadas já que a maior parte dos terrenos à volta da Cidade da Praia é privada”, disse o autarca.

Paulo César Velhinho Rodrigues salientou que a Cidade da Praia está num processo de crescimento de forma acelerado e a edilidade precisa disponibilizar terreno às pessoas que queiram construir as suas casas.

Neste sentido, disse acreditar que através desta parceria que a edilidade pretende materializar, vai ser possível disponibilizar lotes a um preço inferior àquilo que vem sendo praticado pelos privados.

“Nós temos uma tabela de preços que praticamos aqui na Câmara Municipal. A ideia é fazer uma parceria de 50 por cento para cada entidade – os privados como donos do terreno e nós, enquanto entidade que administra o território. Os privados entram com o terreno e nós com planos e gestão do território”, explicou.

Paulo César Velhinho Rodrigues adiantou que, actualmente, a edilidade esta já negociar com o proprietário do terreno ao lado do plano da zona de Palha Sé, no sentido de ampliar a zona já planeada.

“Em principio, vamos assinar um memorando de entendimento e, depois, levar para Assembleia Municipal para aprovação e a partir daí, dar início aos trabalhos de loteamento do plano de parceria público-privada”, indicou.

MJB/CP

Inforpress/fim