Cabo Verde vai ter em Julho um estudo bio-comportamental das pessoas com deficiência portadoras de HIV

Cidade da Praia, 26 Mar (Inforpress) – A responsável do Handicap Internacional em Cabo Verde, Adélsia Duarte anunciou hoje, que o país vai ter em Julho um estudo bio-comportamental das pessoas com deficiência portadoras de HIV.

Essa informação foi avançada à imprensa pela responsável do Handicap Internacional em Cabo Verde, após o encontro que manteve hoje com a primeira-dama para convidá-la para ser a madrinha da campanha Advogacy VIH Deficiência.

“Vamos realizar o estudo bio comportamental que visa compreender qual a vulnerabilidade das pessoas com deficiência face ao HIV, e é um estudo que nos vai trazer, pela primeira vez no país, dados fiáveis sobre quantas pessoas com deficiência com HIV existe, onde estão, quais são as suas necessidades em termos de comunicação”, disse.

Ainda segundo Adélsia Duarte, o estudo vai incidir sobre que tipo de comunicação devem existir e implementar para que pessoas com deficiência possam estar menos vulneráveis e ter acesso a informações a nível de saúde sexual e reprodutiva.

“É um estudo que será lançado no fim de Junho ou início de Julho o estudo e vai trazer à tona a questão da VBG em relação as pessoas com deficiência, assim como nos informar sobre qual a taxa de sero prevalência nas pessoas deficiência”, realçou.

A iniciativa, informou, visa criar uma estrutura de defesa para uma melhor inclusão das pessoas com deficiência nas estratégias nacionais de luta contra o HIV-SIDA.

Além do estudo, frisou, o projecto é contemplado com o plano Advogacy VIH Deficiência, que tem como obejctivo capitar diferentes sectores para uma melhor compreensão da deficiência.

“HIV e Deficiência” é um programa regional financiado pelo Fundo Global e abrange países africanos como Cabo Verde, Guiné-Bissau, Senegal, Burkina Faso, Mali e Níger. É um projecto através do qual se pretende desenvolver um estudo capaz de conhecer o número de deficientes com o VIH e o seu comportamento enquanto portador da doença.

Em Cabo Verde existem, segundo o senso de 2010, 23 mil pessoas com deficiência, mas não se sabe o número das que são portadoras do VIH-SIDA.

PC/AA

Inforpress/Fim