Cabo Verde registou em 2017 uma taxa de alfabetização à volta dos 89% – Albertina Duarte

Cidade da Praia, 07 Set (Infropress) – Segundo dados do INE referente ao ano 2017, Cabo Verde registou uma taxa de alfabetização à volta dos 89 % (por cento) o que se traduz numa taxa de analfabetismo geral estimada em cerca de 11%.

A afirmação é da directora do Serviço de Alfabetização e Educação de Adultos (SAEA), Albertina Duarte, que falava hoje na cerimónia do lançamento da campanha de sensibilização de jovens para o EBI de Adultos promovido pela DNE, no âmbito das comemorações do Dia Internacional da Alfabetização, assinalado este ano sob o lema “Alfabetização e desenvolvimento de competências”.

“No país conseguimos ainda uma taxa de 98,9% de alfabetizados na faixa etária dos 15 a 24 anos, o que se traduz numa taxa histórica de analfabetismo de 1.1% nesta faixa etária. Estes dados são fortemente afectadas pela taxa de 59% de analfabetos, dos 65 anos ou mais, onde a sensibilização para os estudos é praticamente impossível por razões conhecidas”, disse.

Segundo Albertina Duarte, existe uma discrepância nas taxas de alfabetização entre o sexo masculino com 93.3% e feminino com 84.7%, o que reque estratégias para abranger mulheres nos programas de alfabetização, de modo a desenvolverem também as competências em literacia e numeracia, visando o cumprimento da meta do ODS (Ojectivos do Desenvolvimento Sustentável).

Entretanto, tendo em consideração o lema que este ano põe tónica na alfabetização e o desenvolvimento de competências, a directora do Serviço de Alfabetização e Educação de Adultos, chamou atenção pelo facto de se perspectivar novas medidas e programas de alfabetização e educação para adultos, isso, tendo em conta os desafios da qualificação dos jovens para o mundo laboral.

Com o propósito de fomentar a alfabetização nos vários países, a Organização das Nações Unidas (ONU) e a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) instituíram a data em 1967.

PC/FP

Inforpress/Fim