Cabo Verde quer usar a Francofonia para cimentar integração do arquipélago na África

Cidade da Praia, 16 Mai (Inforpress) – Cabo Verde quer usar a francofonia como ponte para a sua integração africana, agendando por isso debates relacionados com os transportes marítimos e aéreos e questões de cariz económico.

Esta informação foi avançada hoje pelo presidente do Parlamento cabo-verdiano, Jorge dos Santos, em declarações à imprensa, para falar da 26ª Assembleia Regional da Francofonia, a ter lugar no país de 17 a 18 de Maio, na Cidade da Praia, com a participação de 19 delegações oriundas de 19 países e convidados dos países francófonos do Canadá e da Europa.

“A proposta do debate deste tema foi feita por Cabo Verde e isto demonstra a importância que damos à questão de ligação com a nossa sub-região e com toda a África francófona, com foco na questão do “hub” aéreo e marítimo, visto que a ligação com o continente é um dos pontos fracos da nossa integração”, disse.

Além deste tema, sublinhou, será debatida na 26ª Assembleia Regional da Francofonia a “Crise imigratória e o respeito dos direitos humanos em África”, ou seja, tudo o que acontece no continente africano e no Mediterrâneo, mas também as causas para que os participantes possam reflectir sobre a problemática.

A terceira temática em debate, explicou, tem a ver com a “Segurança em África”, onde será analisada a questão dos conflitos no continente negro.

Tendo em conta a problemática da governação e o encontro de soluções para governação depende, segundo Jorge dos Santos, da vontade de politicas públicas de cada Estado, Praia vai servir de palco para o debate da necessidade de adopção de políticas públicas nacionais, regionais e africanas.

“Cabo Verde, neste momento, tem uma firme convicção, a nível do estado, da nossa integração na nossa sub-região CEDEAO e no continente africano. Para isso, é preciso dar conteúdo a esta integração, fazendo valer as nossas especificidades enquanto país insular”, afirmou.

Lembrou que o Governo, com a constituição do Ministério da Integração, está a dar “sinais claros” do seu interesse nessa integração, tendo já conseguido alguns acordos de dupla tributação com vários países africanos, assim como debates sobre a problemática monetária.

Para o chefe da Casa Parlamentar, a pertença de Cabo Verde na Francofonia e na Lusofonia facilita a integração do país num ambiente num plurilinguístico e multicultural, mas sempre com as pessoas no centro das atenções.

O facto de Cabo Verde receber pela primeira vez este encontro é, segundo Jorge do Santos, um sinal de recentragem do país na família francófona.

Para além dos países da francofonia da região africana, participam na 26ª Assembleia Regional da Francofonia o presidente da Assembleia Parlamentar da Francofonia da Québec, o secretario-geral da Francofonia e o presidente da Francofonia África.

PC/JMV

Inforpress/Fim