Associações da ilha de Santiago recebem apoio da “Ser+ Dar+ Terapeutas Sem Fronteiras” em projectos de educação e saúde

Cidade da Praia, 30 Ago (Inforpress) – A ilha de Santiago acolhe, de 03 a 17 de Setembro, a terceira missão de voluntariados da Associação Ser+ Dar+ Terapeutas Sem Fronteiras para desenvolver alguns projectos de valorização, educação e saúde com entidades parceiras locais.

A missão, que é constituída por um grupo de nove voluntárias entre elas enfermeiras, terapeutas ocupacionais, fisioterapeutas, musicoterapeutas, psicomotricistas e terapeutas da fala, vai em parceria com a Acrides, Acarinhar, Crescer Especial, Colmeia, RAMAO e Nós Saúde, segundo nota de imprensa, realizar actividades com crianças, idosos carenciados e com a população com algum tipo de deficiência.

O trabalho, a ser promovido pelo grupo através de actividades terapêuticas, educativas, lúdicas e preventivas, no terreno, é fruto de uma parceria com a Câmara Municipal da Praia que tem como base os princípios subjacentes aos objectivos do desenvolvimento sustentável da agenda 2030 das Nações Unidas.

O objectivo primordial desta parceria é, segundo nota de imprensa, a criação de sociedades que permitam diminuir assimetrias com vista a criar um mundo melhor para todos, criando autoestima, equilíbrio, prosperidade e capacidade de fazer escolhas.

A “Ser+ Dar+”, que já esteve em São Vicente, Santo Antão e Sal, é uma associação que trabalha com base na qualidade, pois quer definir altos padrões e depois excedê-los, segundo os seus promotores.

Durante a sua estada na ilha, a associação vai realizar com a Acrides debates na área da promoção social e cidadania no bairro de Tira Chapéu e cujo alvo serão crianças, assim como formação aos líderes comunitários sobre exploração e o abuso sexual, sinais e prevenção.

Consta ainda da missão com a Acrides a realização de oficinas de criatividade e de reciclagem, formação em actividades terapêuticas (musicoterapia, estimulação sensorial, jogos motores), conversa aberta sobre empoderamento feminino dedicada a mulheres e famílias.

No dia 07 e com a Acarinhar o grupo irá promover uma acção de sensibilização para a deficiência e acessibilidade universal, falar sobre o que é uma praia 100% acessível, desafios, oportunidades para Cabo Verde e ‘case studies’ internacionais, bem como apresentar o projecto “Praia Acessível – Acesso a Todos” e a utilização da cadeira anfíbia, que permite que pessoas deficientes possam tomar banho de mar.

Ainda com a Acarinhar, a missão “Ser+ Dar+” vai, no dia 10, efectuar oficinas de reciclagem e terapia pela arte, actividades no domínio da musicoterapia e estimulação sensorial, e formação sobre cuidados básicos em saúde e ATL para crianças com deficiência.

A Colmeia será alvo das mesmas actividades que se estenderão a Santa Cruz, bairro de Achada Grande e Jamaica.

Com a RAMAO, sábado e domingo, o tema de debate vai ser a educação e saúde na aldeia piscatória de Rincão e Tarrafal de Santiago, onde será feito aconselhamento e despiste no âmbito da saúde comunitária, rastreios em saúde, acção dirigida à comunidade denominada “Sexualidade e HIV”, entre outros.

A Associação SER+ DAR+ Terapeutas Sem Fronteiras foi criada em 2013, e tem como propósito apoiar crianças entre os 3 meses e os 6 anos, carenciadas, com deficiência ou em risco de exclusão social.

PC/ZS

Inforpress/Fim