ANMCV quer trazer experiência brasileira em matéria de pequenos negócios para Cabo Verde

Cidade da Praia, 28 Mai (Inforpress) – A Associação Nacional dos Municípios de Cabo Verde (ANMCV) quer trazer para o arquipélago a experiência do Brasil em matéria de pequenos negócios, sendo que para isso, os primeiros passos já foram dados.

Em declarações hoje à Inforpress, o presidente da ANMCV, Manuel de Pina, disse que acaba de regressar de uma missão de serviço que passou pela Espanha e Brasil, financiada pelas Nações Unidas, visando procurar parcerias para a implementação das acções que visam atingir os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

“Estamos a criar parcerias como forma de dinamizar a economia cabo-verdiana e o Brasil tem uma longa experiência em matéria de pequenos negócios, algo que precisamos, para termos a possibilidade, também, de dinamizar esta economia e melhorar a nossa oferta através de ‘inputs’ e parcerias”, informou.

Segundo Manuel de Pina, é com este objectivo que brevemente estará em Cabo Verde uma delegação da Confederação dos Municípios Brasileiros para dar assistência à ANMCV em vários aspectos, sendo que antes será feito um estudo para se conhecer as debilidades do país e onde será prioridade actuar para concretizar as acções a serem desenvolvidas.

“No Brasil já há um forte envolvimento do Estado de Pernambuco, com quem a associação pretende desenvolver uma cooperação intensa” em várias áreas”, salientou, acrescentando que os municípios de Sevilha e Madrid (Espanha) são outros parceiros para a concretização das acções dos ODS no arquipélago.

Todo esse processo está a acontecer, de acordo com o presidente da ANMCV, e autarca de Ribeira Grande de Santiago, no âmbito de uma parceria estabelecida com a Confederação dos Municípios Brasileiros à margem do IV Fórum Mundial de Desenvolvimento Económico Local (FMDEL).

O fórum decorreu entre 17 e 20 de Outubro de 2017 na Cidade da Praia, com o tema central “Desenvolvimento Economico Local (DEL) como meio para se alcançar a igualdade, equidade e coesão no quadro da localização dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentado (ODS)”.

Na parceria firmada, as partes comprometeram-se em identificar, de forma conjunta, os temas de interesse comum de desenvolvimento local sustentável, nomeadamente o turismo, o desenvolvimento social e económico local e o desenvolvimento de sectores sociais encarregados de atender pessoas com necessidades especiais.

As partes comprometeram-se, também, a trocar experiências, práticas e saberes, obtidas no processo de desenvolvimento local sustentável e na articulação territorial, elaborar as agendas conjuntas para acompanhar à localização dos ODS nos municípios e sensibilizar e educar os actores do próprio território sobre a Agenda 2030.

DR/CP

Inforpress/Fim