AME 2018: Artistas consideram que Marketing Digital tem sido fundamental na divulgação e promoção dos seus trabalhos

Cidade da Praia, 18 Abr (Inforpress) – Os músicos nacionais e internacionais presentes no AME consideraram hoje, durante uma conferência, que Marketing Digital tem sido uma das principais ferramentas de divulgação e de promoção dos seus trabalhos no mundo de hoje.

Esta ideia compartilhada pelos artistas Nelson Freitas, Djodje e Kaysha, foi manifestada durante a conferência “Marketing Digital na indústria da música” que aconteceu hoje, no Palácio da Cultura Ildo Lobo, na Cidade da Praia, no segundo dia do Atlantic Music Expo (AME).

Conforme defenseram, numa altura em que muitas pessoas preferem ouvir a música dos seus artistas preferidos nas plataformas como spotify, Google Play, Tidal, entre outros, muitos artistas têm aproveitado essa era digital para divulgar os seus trabalhos e tem deixado um pouco de lado a produção física dos álbuns.

Em declarações à Inforpress, o rapper Kaysha disse que antigamente para divulgarem os seus trabalhos era difícil, porque precisavam de correr atrás das gravadoras, dos programas da rádio ou da televisão e tentar vender o álbum físico em outros países através de amigos ou conhecidos.

Entretanto, explicou que nos dias de hoje com o aparecimento dos telemóveis e dos smartphone “ouve uma abertura ao mundo” e conseguiram solucionar esses problemas, pois, podem interagir com o público em diversos países sem gastar muito, disse.

Para Kaysha, uma vez que nem todos os artistas têm recursos para gravar, fazer a promoção dos seus trabalhos, participar em grandes espetáculos e fazer parte de grandes produtoras, é preciso usar algumas estratégias, como criar marcas dos seus trabalhos, saber como fazer para atingir os potenciais clientes e ter alguma dedicação.

Outro conferencista, o compositor e produtor Nelson Freitas, com mais de 20 anos de experiência na indústria musical, aproveitou para aconselhar os artistas mais antigos, mostrando-lhes, que se querem continuar a ser “relevante” nesta área é preciso “batalhar para manter essa carreia”.

Apesar de ter ganhado milhões na música, Nelson Freitas reconheceu que foi um pouco difícil passar pela transição de venda física para a digital, mas que conseguiu sobreviver a essa indústria com o apoio de Kaysha e de Nick Pinheiro.

“Neste momento, o digital é o que é agora e é o futuro. Venda física já foi, já não existe. Lancei em Novembro um EP com quatro músicas e nem vou fazer a venda física, o meu próximo CD também vai ser só digital”, informou.

Djodje que representa a geração da era digital, disse à Inforpress que a sua carreira iniciou nessa fase de mudança entre a venda física e as plataformas digitais, mas que conseguiu aproveitar dessa ferramenta para promover as suas músicas.

“Cada dia que passa ganho mais consciência de que o meu foco e o meu público estão na internet, portanto o marketing digital é fundamental e a minha estratégia passa por isso. É uma ferramenta fundamental e não adianta nada produzir e não publicar”, disse, acrescentando de que hoje em dia a primeira promoção é a internet.

O artista da Broda Music contou ainda que ao apostar na divulgação através das plataformas de streaming (uma plataforma onde as pessoas podem ouvir, comprar, alugar e vender música), do facebook e do youtube, conseguiu conhecer os dados dos seus seguidores, como quem são, a sua faixa etária, onde estão e que géneros mais gostam.

Através desta experiência, Djodje tem apostado em produzir conteúdos que vão ao encontro com o seu público-alvo, mas segundo indicou, tenta ainda atingir os outros públicos que não estão na faixa etária de 18 a 34 anos.

O AME continua ao longo do dia e à tarde com o debate à volta do “360 °: uma gestão de carreira centralizada e global: modelos, benefícios e limites!”, mas também promete muita música em palco urbano e nos “showcases” com os artistas Sarabudja, Osmar Bob Mascarenhas, Malika Tirolien, Djeli Moussa Conde, Puto Makina, Naldinho Freire.

Para esta noite está calendarizado o encontro Urbano da Praça Luís Camões entre os artistas iLLspokinn & Zajazza (EUA), Yao (Canadá), Batchart (Cabo Verde), Didier Awadi (Senegal).

AM/FP

Inforpress/Fim