Inicio Ambiente Águas de Santiago – AdS quer um cadastro dos consumidores ligados à...

Águas de Santiago – AdS quer um cadastro dos consumidores ligados à rede de esgotos para facilitar tarefa na facturação

 

Cidade da Praia, 14 Out (Inforpress) –  A Águas de Santiago (AdS), já está a trabalhar na elaboração de um cadastro dos seus clientes visando a identificação dos consumidores que usufruem da ligação à rede de esgotos, para que pessoas ainda sem acesso a rede continuem a ser facturadas.

A directora comercial da AdS, Laura Moreira, avançou esta informação à Inforpress durante uma sessão de informação, educação e comunicação sobre a campanha “Agu ka tem presu, mas tem kusto, kuida del” (água não tem preço, mas tem custos, cuidemos dela), que decorre este sábado nas suas instalações, em Achada de Santo António, Cidade da Praia.

Pretende-se com esta iniciativa dotar os participantes, constituídos por líderes comunitários e pessoal desta empresa, de conhecimentos sobre os custos, produção e distribuição da água, bem como fazê-los entender que os clientes é que sustentam parte desses custos, através do pagamento das suas facturas.

A directora comercial da AdS admite que a falta de um cadastro de identificação de clientes tem dificultado as suas acções no terreno, nesta fase de transição, mas assegura que os clientes prejudicados serão ressarcidos, após uma vistoria mediante uma reclamação e que esforços estão a ser envidados para que atrasos de facturação e entrega sejam regularizados até final do Novembro.

“Tranquilizemos os clientes no sentido de não se preocuparem com o prazo do limite de pagamento, inserido nas facturas, desde que liquidem as dívidas, ainda que faseadas e conforme as suas capacidades. Estamos a trabalhar com toda a força para regularizar esta situação”, disse Laura Moreira.

Conforme esta responsável, esta aposta nos líderes comunitários passa sobretudo por dotá-los de conhecimentos para partilharem nas suas localidades, de modo a sensibilizar a população para uma política de poupança da água, visando a sua racionalização para diversos consumos.

Compreender a tarifa única para a ilha de Santiago, e os argumentos da Agência da Regulação Económica (ARE), para a mesma; conhecer o tarifário, de acordo com as tarifas variável, fixa e taxa de saneamento, saber ler uma factura de água AdS e conhecer as melhorias em curso na produção e distribuição de água na AdS constituem outros objectivos desta acção.

Para o efeito, nesta formação os participantes estão a ser sensibilizados em assuntos relacionados com a captação, tratamento, distribuição, consumo e pagamento da água de forma a sensibilizar a população sobre a tarifa única por toda a ilha de Santiago, como forma de contribuir para a justiça social em toda a ilha, independentemente da sua localização geográfica.

A AdS, segundo a sua diretora comercial, conta com 12 leitores para a Cidade da Praia, que estão no terreno mediante o cumprimento de um calendário, previamente estabelecido.

SR/FP

Inforpress/Fim