ADAD realiza limpeza sub-aquática no Porto da Praia e a quantidade de lixo surpreende voluntários

Cidade da Praia, 02 Set (Inforpress) – A Associação para a Defesa do Ambiente e Desenvolvimento (ADAD) realizou hoje uma campanha de limpeza sub-aquática no Porto da Praia e pouco tempo do início das actividades já era visível quantidade de lixo tirada do fundo do mar.

Segundo o porta-voz da ADAD, Aristides Reis,  isto é apenas uma “pequena amostra” como está o fundo dos mares de Cabo Verde.

Esta iniciativa, que, além de outros participantes, envolveu quatro mergulhadores profissionais, de acordo com Aristides Reis, visa, por um lado, “sensibilizar as autoridades nacionais, em particular, e a população em geral,  sobre a problemática da poluição do mar”.

“Um outro objectivo que nos move é o de prevenir e proteger a biodiversidade marinha”, precisou Aristides Reis, para quem não se conhece ao certo a quantidade de detritos que possam estar depositados no fundo da orla marítima da baía do Porto da Praia, mas podem ser porções alarmantes.

Para o ambientalista, a acção desencadeada no Porto da Praia é “simbólica” e acaba por ser também um alerta à população em relação aos cuidados que deve ter no que diz respeito ao lixo.

Não tem dúvida que a água do cais de pesca, onde se comercializa e se prepara o pescado “está poluída” com consequências para a saúde pública.

“O peixe que consumimos é normalmente preparado com aquela água”, desabafa Aristides Reis, acrescentando que cheiram “tão mal” os objectos recolhidos no meio de grandes quantidades de lodos depositados no fundo do mar.

Sem indicar qual será o próximo porto do país a receber acções semelhantes, Aristides Reis foi avançando que de momento este acto servirá para que seja repetido em outros pontos do país.

Em conversa com a Inforpress, o mergulhador António Lopes Moreno disse que quis dar a sua contribuição para que a zona portuária fique mais limpa.

“Mergulho sempre nesta baía e tenho notado grandes quantidades de lixo no fundo do mar, como pneus, sacos de plásticos e panos”, indica António Moreno, mais conhecido por Tony.

Pedro Lopes  Tavares é um outro mergulhador que participou na limpeza do Porto da Praia que partilha da mesma opinião que o seu colega, ou seja, quer ajudar e ver a baía livre de resíduos sólidos.

LC/CP

Inforpress/Fim