ACLCC promove marcha “Outubro Rosa” com foco na sensibilização e prevenção do cancro de mama

Cidade da Praia, 28 Out (Inforpress) –  A Associação Cabo-Verdiana de Luta Contra o Cancro (ACLCC) promoveu hoje uma marcha “Outubro Rosa” visando alertar e sensibilizar a sociedade civil sobre os malefícios da doença, prevenção do cancro de mama e promoção de uma vida saudável.

Em declarações à imprensa, a presidente da Associação Cabo-Verdiana de Luta Contra o Cancro (ACLCC), Cornélia Pereira, disse que a marcha decorre em 16 municípios do arquipélago e conta com o apoio de vários parceiros da sociedade civil.

“Os municípios em parceria com as autarquias, delegacias e centros de saúde e outros parceiros estão todos a postos para arrancar as 10 horas nesta que é uma marcha simultânea. Aqui na Praia temos uma forte adesão das pessoas contamos com apoio do hospital Agostinho Neto, caminheiras do BCA, mulheres empresárias e toda a sociedade praiense está cá connosco”, asseverou, apelando a população em geral que se junte à associação na prevenção contra o cancro de mama que considerou uma luta de todos.

Este ano, segundo a presidente da ACLCC, pretendem percorrer não só a avenida, mas também o interior dos bairros dos municípios para levar mensagens às pessoas que “mais precisam” sobre os riscos associados à doença, o tabaco, os cuidados com a dieta alimentar, e sensibilizá-las na adopção de uma vida saudável.

A estratégia da associação, conforme explicou, tem sido apostar “cada vez mais” na prevenção, socialização e educação, no sentido de chamar atenção para o flagelo que é o cancro, invocando as mulheres a realizarem mensalmente o auto-exame e, para o caso detectarem alguma anomalia, dirigirem-se às estruturas de Saúde.

Disse, por outro lado, que durante o mês de Outubro foi realizado um “importante calendário de actividades” que visa essencialmente a partilha de informação com a sociedade civil relativamente ao cancro da mama e a sensibilização para o auto-exame, entre outros factores de riscos.

Neste sentido, mostrou-se satisfeita com os trabalhos realizados e afirmou que a “forte adesão e interesse” das pessoas em participar nas actividades é sinal de que estão sensibilizados sobre a importância de se apostar na prevenção e educação sobre este flagelo.

“O balanço das nossas actividades é extremamente positivo realizamos ao longo do mês palestras, conversas aberta, rastreios e essa marcha e cada vez mais estamos a sentir que a intensidade e adesão das pessoas tem aumentado”, afirmou, salientando que o objectivo da ACLCC é continuar engajada nessa luta que afecta muitas mulheres em todo mundo.

CM/AA

Inforpress/Fim