A biodiversidade marinha e costeira estão em perigo – alertou a representante das Nações Unidas em Cabo Verde

 

 

Cidade da Praia, 22 de Mai (Inforpress) – A representante das Nações Unidas em Cabo Verde, Ulrika Richardson disse hoje, na Cidade Velha, que a biodiversidade marinha e costeira estão em “perigo”.

“O caso da biodiversidade marinha e costeira está numa discussão séria e permanente, agora nas negociações da conferência das partes da convenção das Nações Unidas sobre a biodiversidade biológica em 2010, mas também recentemente nas negociações durante as reuniões da convenção de clima”, precisou.

Ulrika Richardson fez estas considerações na abertura do fórum sobre a “Conservação da Biodiversidade Costeira e Marinha”, realizado no âmbito do Dia Internacional da Biodiversidade.

Segundo a representante das Nações Unidas em Cabo Verde, a conservação da biodiversidade “está em destaque” todas as semanas e em todos os continentes, inclusivamente em Cabo Verde.

Para Ulrika Richardson, o tema “Biodiversidade e Turismo Sustentável” está “intimamente” ligado à economia cabo-verdiana, com um peso de quase 40 por cento.

Para além disso, diz ela, também estabelece “ligação directa” à gestão sustentável e à saúde dos recursos costeiros e marinhos.

Realçou ainda que é preciso um trabalho conjunto com os vários sectores da sociedade civil.

“Precisamos trabalhar em conjunto com o Governo, operadores turísticos, as ONG (Organizações Não-Governamentais) e a comunidade internacional na construção de um turismo responsável, justo, de qualidade e mais respeitoso possível”, indicou a coordenadora residente do sistema das Nações Unidas.

Para ela, este fórum oferece uma “oportunidade útil” para “aumentar” o nível de sensibilização.

O turismo de qualidade, indicou, por um lado, continua a ser o “motor de crescimento económico” do país e, por outro lado, “responde com responsabilidade” às ansiedades e necessidades da gestão sustentável da biodiversidade terrestre e marinha.

Avançou ainda que o portefólio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), sobre a biodiversidade dos últimos anos em Cabo Verde, já “ultrapassa os 10 milhões de dólares”, com mais um milhão este ano.

O PNUD, com o financiamento do Fundo Global para o Ambiente de “quase 4 milhões de dólares”, pretende “reforçar” a protecção de ecossistemas marinhas.

Este fórum antecede a conferência das Nações Unidas sobre os oceanos a realizar-se no início de Junho em Nova Iorque.

BS/LC/FP

Inforpress/Fim